Seu browser não suporta JavaScript!

15/03/2012 | Portal do PSDB na Câmara

Governo mostra falta de compromisso com segurança ao abandonar principal promessa de campanha

Dilma mostra falta de compromisso com segurança ao abandonar principal promessa de campanha

Por Letícia Bogéa

O governo da presidente Dilma dá mais uma demonstração de não ter compromisso com a segurança do povo brasileiro ao abandonar plano nacional de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). A crítica foi feita nesta quarta-feira (14) por deputados tucanos. Reportagem do jornal “Folha de S.Paulo” mostra que o Planalto engavetou a principal promessa de campanha da petista na área de segurança pública: instalar 2.883 UPPs pelo Brasil.

“Dilma mandou arquivar 2,8 mil UPPs, que são experiências bem avaliadas e faziam parte do programa e dos compromissos em 2010. Na prática, ela não faz nada do que promete. Não instalar as UPPs é um ato de irresponsabilidade”, afirmou, pelo Twitter, o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra (PE).

Durante pronunciamento na quarta-feira (14), o líder da Minoria na Câmara, Antonio Carlos Mendes Thame (SP), lembrou que a promessa tinha destaque nos discursos e considerou inacreditável que todos passem por essa enganação. “A candidata, na época, prometeu construir as unidades. Chegou a destinar R$ 350 milhões no Orçamento de 2011 para cumprir isso. Verba essa que foi reduzida para R$ 185 milhões em 2012. Quantas unidades foram instaladas em ano passado? Nenhuma. Quantas foram construídas esse ano? Nenhuma”, criticou. “É um governo bipolar: promete uma coisa e faz outra”, completou.

Otavio Leite (RJ), por sua vez, considera um absurdo a presidente cortar verbas de um setor tão essencial. “A segurança é algo indispensável. Em áreas mais conflagradas é fundamental que haja uma ação forte do governo. A presidente, além de vetar verba para essa finalidade, comete uma infração política séria, já que na campanha fez a promessa”, ressaltou.

Já Fernando Francischini (PR) lamenta que a segurança esteja sendo abandonada. “É fácil falar no programa eleitoral que a área é prioridade. Queremos ver é na prática. Infelizmente, campanha é uma coisa e na prática outra. É um governo feito de marketing”, condenou.

Polícia comunitária

- Implantado em 2008 no Rio de Janeiro com recursos estaduais, o modelo das UPPs é um sistema de policiamento comunitário adaptado para áreas de risco. O eixo é a construção de bases de segurança que funcionam 24 horas por dia.

- Em programa eleitoral veiculado em 21 de setembro de 2010, por exemplo, a então candidata Dilma prometia, como parte do PAC 2 – Programa de Aceleração do Crescimento -, mais de 2.800 postos de polícia comunitária pelo país. Dos R$ 350 milhões previstos para a ação em 2011, nenhum centavo foi gasto.

Foto: Ag. Câmara