Seu browser não suporta JavaScript!

24/01/2007 | Agência Tucana

Gustavo Fruet recebe benção da CNBB em Brasília

Brasília (24 de janeiro) - O deputado Gustavo Fruet (PR), candidato da terceira via à presidência da Câmara, recebeu na manhã desta quarta-feira a benção do bispo Dom Odilo Pedro Scherer, secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Para o tucano, o apoio da CNBB é fundamental para estreitar os laços entre as organizações da sociedade civil e o Congresso, em busca de um melhor futuro para o país.

RESGATE DA IMAGEM

´A CNBB acompanha os movimentos do Congresso e representa a sociedade, além de reforçar sua postura crítica em relação ao Legislativo em momentos de crise. É preciso tirar a imagem de que a CNBB e outras entidades trabalham contra o Congresso e aproveitar essa visão crítica para ajudar a definir rumos, apontar caminhos e, principalmente, intensificar o diálogo da Câmara dos Deputados com a sociedade brasileira´, avaliou Fruet em Brasília.

Dom Odilo entregou ao tucano várias cartilhas feitas pela CNBB, incluindo as orientações da Conferência para as eleições 2006, e reforçou a necessidade da construção de um novo Brasil. ´São orientações para que seja feita uma renovação no Congresso. É preciso entender que a decisão da presidência da Câmara é exclusiva dos parlamentares, mas todos devem perceber que voto não tem preço, mas conseqüências´, alertou o secretário-geral.

Fruet reiterou que não podem existir barreiras que separem o Congresso de entidades representativas importantes e da sociedade. ´Queremos ter uma relação de respeito e contar com a visão crítica para corrigir caminhos e melhorar a identidade do Legislativo com o Brasil´, argumentou o deputado.

NÃO-CONGRESSO

Presente ao encontro, o deputado Luiz Carlos Hauly (PR) disse que a audiência com a CNBB foi ´importantíssima´. Além disso, sinalizou para o Congresso e para a nação uma nova postura - apresentada pela figura de Fruet. ´Ele é um candidato diferenciado e sentimos isso no ambiente encontrado na CNBB. O carinho e a atenção dados a ele demonstram o reconhecimento do sucesso de sua candidatura pelos bispos do Brasil´, avaliou o parlamentar.

Fruet aproveitou a oportunidade para dizer que nos últimos anos houve uma expressiva diminuição das sessões plenárias na Câmara, de sessões nas comissões e de aprovações dos projetos de iniciativa do Congresso. ´Em alguns momentos, inclusive, as medidas provisórias não permitiam sequer a instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito. Temos que inverter essa lógica. Essa é uma forma de desconsiderar ou diminuir o trabalho do Legislativo. Isso nos leva a pensar em duas situações: ou o Legislativo está aprovando em excesso e sem responsabilidade, transferindo o veto ao presidente, ou está havendo uma desconsideração do governo em relação as medidas aprovadas no Congresso´, ressaltou.

´Está havendo o não-Congresso, a não-decisão. Nunca tantos parlamentares em tanto tempo votaram tão pouco. Queremos inverter isso e valorizar o trabalho dos deputados e da Câmara´, concluiu Fruet. Os deputados Raul Jungmann (PPS-PE), Luiza Erundina (PSB-SP), Alfredo Kaefer (PR) e Otavio Leite (RJ) também participaram da reunião.