Seu browser não suporta JavaScript!

26/08/2011 | Jornal Panrotas online

Hoteleiros mostram realidade do setor a parlamentares

Terminou a reunião que as principais entidades da hotelaria nacional (Fohb, Resorts Brasil, ABIH e FBHA) tiveram, no Pestana Bahia, em Salvador, com lideranças parlamentares no Turismo, como o deputado federal Jonas Donizette, presidente da CTD, e a senadora baiana Lídice da Mata, presidente da Subcomissão Temporária da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016. Segundo o presidente do Fohb, Roberto Rotter, o saldo foi bastante positivo. "Primeiro porque nós fizemos a lição de casa em relação à primeira reunião, de 2009, e viemos mais bem preparados, e segundo porque conseguimos mostrar aos parlamentares a real situação da hotelaria nacional", afirmou. Tudo isso para dizer que não haverá problemas na hotelaria para os grandes eventos esportivos e, pulando para o dia a dia dos hotéis, fora desses acontecimentos, que o setor precisa de desoneração, especialmente para competir com os resorts e hotéis de lazer do Caribe.

COPA

Os hoteleiros quiseram que os parlamentares e algumas autoridades, como o presidente da Embratur, Flávio Dino, e secretários de Turismo presentes, soubessem que a hotelaria vai bem e que falta de leitos não será problema para a Copa do Mundo ou a Olimpíada. Pelo contrário, a maior preocupação deles é em relação à superoferta em alguns destinos, como Salvador, Manaus e Cuiabá, que pode gerar baixas ocupações pós-eventos e equipamentos ociosos.

"A hotelaria está bem, os organizadores e autoridades não precisam se preocupar com esse tipod e infraestrutura e sim com aeroportos, mobilidade urbana, promoção dos destinos pós-evento, segurança...", continuou Rotter. Ele explicou aos parlamentares e mostrou números de que não haverá problema com falta de leitos em qualquer cidade, até porque durante a Copa segmentos como o de eventos e o de viagens corporativas irãos e retrair. "Isso já ocorre quando a Copa é em outros países, imagine aqui".

IMPOSTOS

Os hoteleiros também aproveitaram para preparar um estudo minucioso sobre a situação dos hotéis em relação ao Custo Brasil. A ideia é que o turismo seja lembrado nos próximos pacotes de incentivo fiscal, como o Brasil Maior, que contemplou este ano setores como o de móveis e calçados. O automobilístico também sempre recebe uma ajuda em momentos difíceus, como a recente redução do IPI.

Ainda existe, segundo Rubens Régis, presidente da Resorts Brasil, uma chance de a hotelaria entrar no Brasil Maior este ano. Há uma emenda já apresentada pelo deputado federal Otavio Leite. Régis acha difícil mas é importante esse lobby inédito e essa união da hotelaria, para que o turismo passe a ser visto como prioridade no Congresso e no Executivo.

Ele também achou a reunião bastante profissional, com mensagens claras a serem passadas e muita boa vontade dos parlamentares. Todos saíram com o comprometimento da senadora Lìdice da Mata e do deputado Jonas Donizette para conseguirem uma audiência com a ministra chefe da Casa Civil, Gleisi Helena Hoffmann (PT-PR), para que esses dados sejam apresentados.