Seu browser não suporta JavaScript!

21/11/2012 | Jornal O Dia

'O ideal é a presidente vetar totalmente o projeto e editar uma MP que preserve os campos em produção'

Passe livre para ato contra a covardia

Rio - Trens, barcas e metrô vão liberar as roletas, no dia 26, das 13h às 15h, no sentido Centro para o ato em defesa do Rio, contra a pulverização dos royalties do petróleo por todos os municípios do País. A Fetranspor também vai disponibilizar alguns ônibus. A medida tem o objetivo de facilitar a participação popular na manifestação, conforme antecipou ontem a coluna ‘Informe do Dia’. Os transportes também serão liberados no retorno do evento, das 20h às 22h.

O ato — denominado ‘Defesa do RIO. Veta, Dilma’ — será iniciado, às 14h, em concentração na igreja da Candelária. A partir das 17h30min, haverá caminhada em direção à Cinelândia, com a participação do governador Sergio Cabral e de outras autoridades.

NÃO HAVERÁ DISCURSO

Segundo o Governo do Estado, trios elétricos vão acompanhar o trajeto até a Cinelândia. Haverá ainda a participação de artistas e personalidades durante o evento. Os políticos não vão discursar, apenas será lido um manifesto aprovado em reunião que ocorre amanhã.

Na chegada à Cinelândia, os manifestantes vão cantar o Hino Nacional. Em seguida, será lido o manifesto. Não estão previstos discursos para não associar o ato a partidos ou a políticos. Os servidores públicos do estado e do município do Rio vão ter ponto facultativo na segunda-feira.

O deputado federal Hugo Leal (PSC) acredita que o ato vai demonstrar força. “Precisamos manter os contratos já assinados, os direitos adquiridos”, afirmou. Já o deputado federal Otavio Leite (PSDB) diz que a manifestação pode resultar no veto total ao projeto. “O ideal é a presidente vetar totalmente o projeto e editar uma Medida Provisória que preserve os 34 campos em produção”.