Seu browser não suporta JavaScript!

07/02/2007 | Folha de São Paulo

Indireta

Deputados federais, situacionistas e opositores, traduziram a decisão do presidente Lula de apertar a fiscalização sobre o Pan do Rio como um sinal de desconfiança em relação à maneira como o dinheiro do governo é gasto. Acreditam que foi um recado, principalmente, ao presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman. A atitude do presidente criou um clima favorável na Câmara para a criação de uma comissão para acompanhar as obras e as despesas. Deley (PSC-RJ) e Otavio Leite (PSDB-RJ) já fizeram essa proposta.