Seu browser não suporta JavaScript!

11/10/2011 | Jornal do Brasil

JB: Otavio Leite diz que caprichos de Cabral encareceram as obras do Maracanã

Por Maria Luisa de Melo

Logo depois de desembarcar no Rio de Janeiro para acompanhar as obras do Maracanã e do aeroporto Antônio Carlos Jobim, fundamentais para a realização da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, o deputado federal Otavio Leite (PSDB-RJ), da Comissão de Turismo e Desporto da Câmara, culpou o governador Sérgio Cabral pelo alto custo das obras do Maracanã.

"O Sérgio Cabral se aproveitou de algumas recomendações da Fifa, alegando que fossem exigências, para sofisticar demais o projeto original do Maracanã e encarecê-lo. A Fifa não exige, por exemplo, que o estádio seja coberto. No entanto, o governador quis isto e, consequentemente, houve aumento do valor estipulado inicialmente para as obras. Foi mais uma questão de capricho do governo", disparou o pré-candidato à prefeitura do Rio.

Valores subiram em disparada

A reforma do Maracanã foi estimada, inicialmente, em R$ 400 milhões. Depois, uma nova avaliação inflou o valor para R$ 700 milhões. Mas o crescimento robusto do valor estipulado não parou por aí: o governo estadual apresentou um custo de R$ 931 milhões ao Tribunal de Contas da União, que conseguiu baixá-lo para R$ 854. Ou seja, o valor final será mais que o dobro do fixado inicialmente.

Endividamento do Estado

Para o deputado, o que ele considera 'caprichos' de Sérgio Cabral, contribuem para o endividamento do Estado, junto ao BNDES e ao BID. As duas organizações são as financiadoras do projeto

"Botar o Maracanã abaixo foi uma decisão do governo do Estado e não da Fifa. O governador está contribuindo para o endividamento do Rio de Janeiro. Se estivesse batalhado por uma Parceria Público Privada, não comprometeria o dinheiro do contribuinte. Faltou empenho do governador", acusou o parlamentar.