Seu browser não suporta JavaScript!

01/04/2009 | ABIH-RJ

Le Méridien, Copacabana

No último domingo, o deputado Otavio Leite (PSDB/RJ), membro titular da Comissão de Turismo e Desporto da Câmara (CTD), reuniu cerca de 100 pessoas em um ato público pela manutenção da atividade hoteleira no prédio que, até o início de 2007, era conhecido como Le Méridien Copacabana.

Entre os participantes do encontro, estavam professores e alunos de cursos de Turismo, Hotelaria e afins. Durante a manifestação, foram recolhidas quatro mil assinaturas para um documento que será entregue ao Fundo de Pensão dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ), proprietário do prédio, reforçando que a ocupação somente pode ter fins de hospedagem.

No final de 2008, uma comissão da CTD esteve reunida no Rio de Janeiro com o presidente do fundo de pensão, Sérgio Ricardo Silva Rosa, esclarecendo os incentivos que foram oferecidos no momento de construção do empreendimento, incluindo a liberação do gabarito, o que atrela sua operação à atividade hoteleira.

A manifestação do dia 29 de março reforçou, ainda, as perdas econômicas para a cidade acarretadas pelo empreendimento fechado. Somente no último Carnaval, o trade turístico estima um prejuízo em torno de R$ 5 milhões.

Após um acordo que durou menos de dois anos, a Previ desfez no dia 3 de novembro de 2008 o contrato de arrendamento do antigo hotel Le Méridien para a rede hoteleira espanhola Iberostar.

O valor das obras de recuperação do imóvel teria sido o motivo da discórdia, pois a Previ se dispunha a investir um montante bem inferior ao apontado pelo grupo espanhol.