Seu browser não suporta JavaScript!

06/03/2012 | Site Globoesporte.com às 15h17

Lei Geral: comissão especial da Câmara começa com críticas a Valcke

Por Marcelo Parreira

Os parlamentares da comissão especial da Câmara que analisa o projeto da Lei Geral da Copa fizeram pesadas críticas ao secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, por suas declarações sobre a preparação do Brasil para a Copa do Mundo de 2014. Logo no começo da sessão que pretende votar o texto do projeto nesta terça-feira, parlamentares repudiaram a fala do francês, que disse que o Brasil precisa de um "chute no traseiro" devido aos atrasos na preparação para o Mundial (declaração negada pelo dirigente, que diz ter tido uma frase mal traduzida e que pediu apenas para o país "acelerar o ritmo").

Um dos parlamentares lembrou que Copas anteriores tiveram sérios problemas, e que Valcke não deveria "meter o nariz onde não foi chamado". Outro parlamentar disse que a fala de Valcke atingiu os parlamentares e governos locais das sedes.

- Ele feriu o Parlamento. Não foi descortês apenas com o governo, mas com governadores e prefeitos que estão tocando as obras da Copa. Eu acho que é preciso que nós nos posicionemos aqui, que houve um desrespeito também ao Parlamento, uma interferência indevida quando ele diz que desde 2007 esperava esse documento, inclusive nos colocando aqui como se as discussões fossem banais.

Já o deputado Otavio Leite (PSDB-RJ) criticou não só Valcke, mas a resposta dada pelo assessor especial da Presidência para assuntos internacionais, Marco Aurélio Garcia, que chamou o secretário-geral de "vagabundo" e "boquirroto". Segundo ele, foi uma manifestação "própria de botequim de esquina". Mesmo assim, Leite disse que Valcke foi arrogante.

- Todos sabemos que há atrasos, e que sugerem indignações, elas são razoáveis. Mas não é de hoje que o senhor Valcke se manifesta de forma arrogante.