Seu browser não suporta JavaScript!

25/04/2003 | Globo Barra

Lei dá novos nomes para Athaydeville

A partir de hoje, a Barra da Tijuca ganha duas novas localidades. O que antes era considerado Athaydeville passa a se chamar Bosque Marapendi e Parque Lúcio Costa. A promulgação do projeto de lei número 30/2001, segundo o deputado estadual Otavio Leite (PSDB), autor do projeto, já está valendo.

A mudança agrada aos moradores da região e conta com o apoio das associações locais. No entanto, causou uma disputa entre câmara de vereadores e prefeito, que teve seu veto derrubado, por unanimidade, no dia 3 de abril.

Para o presidente da Associação de Condomínios Residenciais do Bosque Marapendi (ABM) Paulo Macedo, a mudança valoriza o que há de mais simbólico no local: o bosque. Foi a própria associação que sugeriu a mudança do nome a Otavio Leite.

— Não temos nada contra o nome Athaydeville mas a ABM acha importante o reconhecimento do Bosque Marapendi não só para os moradores daqui mas para todos na Barra — diz Macedo.

Nancy Valladão, presidente da Associação de Moradores e Amigos do Parque Lúcio Costa, acredita que o reconhecimento do nome favorecerá a criação de uma identidade entre os residentes:

— O prédio abandonado e o terreno baldio tornam o nome Athaydeville pesado. Já Parque Lúcio Costa nos define de uma forma melhor.

Cesar diz que vetou por vício

“Hoje é uma boa idéia mas amanhã pode não ser”. Assim o prefeito Cesar Maia explicou o motivo do veto, derrubado por unanimidade na Câmara, ao projeto que muda o nome de Athaydeville. A frase é uma forma rebuscada da sua tentativa de assegurar à prefeitura o direito de nomear as ruas.

— Vetei por vício de iniciativa — diz o prefeito.

Segundo o deputado Otavio Leite, autor do projeto, dar nome a logradouros é uma das prerrogativas da Câmara municipal.

— Esta lei é apenas uma legitimação da vontade dos moradores, por isso ela já nasce forte — diz Leite.

A história de um bairro

TORRES DE NIEMEYER: Os anúncios prometiam, em 1971, que uma “vida diferente” estava à disposição de quem comprasse um dos apartamentos no então chamado Centro da Barra. Três torres foram construídas com a assinatura do arquiteto Oscar Niemeyer. Cada prédio de 36 andares conta com 173 apartamentos. No projeto estavam previstos outros dez edifícios e 400 lojas, que deveriam ficar prontos em 20 meses. Há 32 anos a Barra era pouco ocupada.

PESADELO: A Desenvolvimento Engenharia Ltda, empresa responsável pelo Athaydeville, não entregou os apartamentos prometidos e se envolveu em diversas disputas judiciais, entre outros problemas.

ATHAYDEVILLE: O pioneirismo de Múcio Athayde, dono da Desenvolvimento Engenharia, rendeu-lhe o direito de ter a área chamada de Athaydeville. Entre os investimentos que deram certo está a ponte que permite a ligação da Avenida das Américas com a Avenida Sernambetiba.

BOSQUE MARAPENDI: Vai da Avenida das Américas (Praça Pimentinha) até a Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso, e continua ao encontro da Avenida Afonso Arinos de Melo Franco.

PARQUE LÚCIO COSTA: Começa na Avenida das Américas (Condomínio Santa Lúcia, que está fora do Parque Lúcio Costa) e termina na Avenida Cantor Roberto Ribeiro, seguindo até a Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso.