Seu browser não suporta JavaScript!

10/05/2011 | Jornal Monitor Mercantil digital

Leite critica

O modelo de concessão dos aeroportos para a iniciativa privada trará poucos avanços no enfrentamento dos problemas dos principais terminais do país, na avaliação do deputado Otavio Leite (PSDB-RJ), ao comentar estudo da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e da Secretaria de Aviação Civil (SAC) que prevê a realização do leilão de concessão em maio de 2012. Com a Copa do Mundo marcada para 2014, o prazo ficará curto para a execução das obras.

Segundo Leite, está claro que a prioridade do governo se concentra em dois aeroportos paulistas - Guarulhos e Campinas - e no de Brasília. Galeão e Confins (MG) ficaram de fora do projeto, embora constem na relação de obras previstas para a Copa. Para Leite, o plano de concessões é muito tímido.

- O governo está mais do que atrasado e incorre no mesmo problema: a inércia, a paralisia. Há muito tempo esse problema foi diagnosticado. Com a CPI do Apagão Aéreo, ficou claro que a infra-estrutura aeroportuária brasileira padecia de vários problemas, mas quase nada foi feito de efetivo - lembrou o parlamentar.