Seu browser não suporta JavaScript!

22/09/2008 | Jornal O Globo

Lula vai lançar campanha para incentivar turismo americano no Brasil

Ao lançar hoje a campanha publicitária de turismo “Brasil Sensacional”, em Nova York, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá protagonizar a retomada de uma antiga e controversa demanda do setor e de alguns ministros do próprio governo: a flexibilização da exigência de visto dos cidadãos americanos para a entrada no Brasil. A regra atual, baseada no princípio de reciprocidade diplomática, é considerada um gargalo para o aumento de turistas e homens de negócios dos Estados Unidos no país.

Durante o evento, a Associação de Operadoras de Turismo para o Brasil (BTOA) tentará entregar a Lula uma carta reforçando o pedido. A idéia é pressionar pela concessão do visto no desembarque do turista no país.

— O visto deve ser emitido no desembarque. O turista manda previamente, on line, os dados via internet. Vários países, como o Chile, já fazem isto — disse o deputado Otavio Leite, um dos defensores da medida.

Apesar da insistência, que parte também do Ministério do Turismo, o Itamaraty resiste. O Ministério das Relações Exteriores argumenta que é uma questão de princípio dar aos americanos o mesmo tratamento dispensado a cidadãos brasileiros que vão para os EUA.

Com custo estimado em aproximadamente US$ 88 milhões, a campanha visa a diversificar e prolongar a estadia de turistas americanos no Brasil. Em 2004, quando foi inaugurado o escritório da Embratur em Nova York, o número de pessoas ingressando no Brasil era de cerca de 630 mil ao ano. Na época, a meta era chegar a um milhão em 2005. Porém, em 2007, o número ficou em torno de 700 mil.

Lula vai a velório de sindicalista morto em acidente

Antes de seguir para Nova York, Lula compareceu ontem ao velório do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Eleno José Bezerra, que morreu num acidente de carro no sábado. O corpo de Bezerra foi enterrado ontem à tarde no cemitério de Vila Mariana, na Zona Sul de São Paulo. O velório foi acompanhado por outros sindicalistas e políticos.

— Quando recebi a notícia, não acreditei que isso pudesse ter acontecido — afirmou o presidente, lembrando que no sábado conversara com Bezerra durante comício da candidata do PT à prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy: — É uma perda irreparável para o movimento sindical brasileiro e para os trabalhadores brasileiros.