Seu browser não suporta JavaScript!

14/06/2011 | Blog da Bancada do PSDB na Câmara e no Senado

Ministério da Pesca é usado para beneficiar grupos políticos do PT, afirmam tucanos

Por Letícia Bogéa

Os deputados Otavio Leite (RJ) e Alfredo Kaefer (PR) criticaram nesta terça-feira (14) os gastos desnecessários do Ministério da Pesca e Aquicultura. Criada no governo do ex-presidente Lula, a pasta ainda não apresentou resultados e, mesmo assim, tem gastos exagerados. Na última segunda-feira (13), o petista Luiz Sérgio assumiu o comando da Pesca. Na dança das cadeiras promovida por Dilma, a antiga responsável pela pasta, Ideli Salvatti, virou ministra de Relações Institucionais.

Em oito anos, os recursos do ministério aumentaram em mais de 70 vezes, passando de R$ 11 milhões para R$ 803 milhões. Enquanto isso, segundo dados do próprio órgão, a produção nacional de pescado não teve o mesmo crescimento: subiu de 990 mil toneladas por ano para 1,2 milhão.

Na avaliação de Otavio Leite, a pasta só existe para atender interesses políticos. “Não há necessidade desse ministério. Isso não quer dizer que o governo não deva apresentar um projeto para fortalecer o setor no Brasil. No entanto, a ideia de criar uma pasta é muito mais uma preocupação de preencher um espaço político dentro do próprio PT do que propriamente de interesse público”, afirmou.

Segundo a Agência Estado, o ministério gasta R$ 7 milhões por ano com o aluguel de um prédio espelhado de 14 andares, onde 374 servidores estão lotados. O ministro e 67 assessores não trabalham lá: eles dão expediente na Esplanada. “O que estamos assistindo é uma arrumação de cadeiras que beneficia muito mais o interesse político. Gastar uma fortuna com um aluguel de um prédio comprova a inoperância do governo e a falta de atenção com o dinheiro público”, comentou Otavio Leite.

Kaefer, por sua vez, também acredita ser desnecessário manter o órgão. De acordo com o parlamentar, se o governo quisesse dar atenção ao setor, poderia criar uma secretaria especial. “Se ele fosse relevante, teríamos que criar o ministério do frango, da banana, do abacaxi, pois há vários setores com mais relevância no contexto produtivo nacional”, ressaltou.

Segundo o deputado, a pasta foi criada para abrigar protegidos políticos e desperdiçar verba. “A prova disso é um único prédio gastar milhões por ano. Esse é o modelo de gestão do PT”, reprovou Kaefer. De acordo com ele, se esses recursos fossem destinados ao setor, ele teria mais produtividade e resultado. Para o tucano, a entrada de Luiz Sérgio não trará melhorias para esse mercado. “Qual é a capacidade e competência de um ministro que tinha um perfil de articulador para de repente virar um conhecedor e especialista da área de pesca?” questionou.

Periferia do poder

? Criado no governo do ex-presidente Lula, o Ministério da Pesca sempre esteve na periferia no Poder Executivo. E não foi diferente nos cinco meses de gestão da petista Ideli Salvatti na pasta. O ministério é muito mais conhecido pelo luxo de seu prédio em Brasília do que pelos resultados que apresenta.

? O desempenho no comércio internacional é ainda pior. Em 2003, havia sido fixada a meta de triplicar, até 2006, o superávit comercial dos pescados, então em US$ 181 milhões. Em vez disso, no ano passado, houve déficit comercial no setor de US$ 519 milhões.