Seu browser não suporta JavaScript!

04/12/2007 | Jornal O Povo

Morre pioneira do movimento feminista

Uma das pioneira do movimento feminista no Brasil, a ex-deputada estadual Heloneida Studart (PT) morreu, ontem, aos 75 anos, vítima de parada cardíaca. Segundo a família, ela passou por uma cirurgia no coração, no último dia 28.

Mesmo aposentada, este ano, Heloneida foi nomeada diretora do Centro Cultural da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Em respeito à morte de Studart, a entrega da Medalha Tiradentes, por indicação do deputado Wagner Montes (PDT), ao secretário de Segurança, José Beltrame foi cancelada.

No início da tarde, o corpo de Studart chegou à Casa, onde foi velado. Mesmo não sendo dia de votação, os deputados marcaram presença para se despedir da colega, que se dedicou à luta pelos direitos da mulher. Entre os parlamentares, estava a deputada Waldeth Brasiel (PR) que foi dar adeus a amiga.

- Aprendi muito com ela e o que mais me admirava era a luta pelas mulheres - contou, emocionada, Brasiel.

Para o deputado Otavio Leite, Studart foi referência na luta das mulheres do País.

- Me lembro uma vez que minha mãe assistiu uma palestra sobre direitos das mulheres. Ela chegou em casa maravilhada dizendo que Heloneida deu um show - relembrou Leite.