Seu browser não suporta JavaScript!

23/07/2014 | Portal do PSDB na Câmara

Morte de Ariano Suassuna é perda irreparável para a cultura brasileira, lamentam deputados

Deputados do PSDB usaram as redes sociais para lamentar a morte do escritor, dramaturgo e poeta paraibano Ariano Suassuna, aos 87 anos. Os parlamentares ressaltaram que a cultura brasileira sofreu uma perda irreparável em um mês marcado pelo falecimento de três grandes escritores: Suassuna, Rubem Alves e João Ubaldo Ribeiro.

“Morre um mestre da literatura nacional por quem eu tinha um grande afeto pessoal. Conheci Ariano em 1976, e através dele fui apresentado a sua vasta obra cultural. O movimento armorial por ele criado englobava literatura, dança, teatro e artes plásticas. Só o reencontrei pessoalmente 35 anos depois e vi com alegria que o afeto era recíproco”, destacou o deputado Jutahy Junior (BA).

Carlos Sampaio (SP) manifestou tristeza. “Mais uma perda irreparável para nossa literatura e dramaturgia. Ariano Suassuna deixará um grande vazio”, escreveu. Para Marcus Pestana (MG), o Brasil fica mais pobre com a morte: “Originalidade, humor, brasilidade e talento literário”, disse o tucano ao enumerar marcas do escritor.

Para Luiz Pitiman (DF), o Brasil sofreu mais uma perda irreparável. “Que Deus conforte o coração dos amigos e família de nosso grande Ariano Suassuna”, destacou em seu perfil no Facebook.

O presidente do PSDB-SP, Duarte Nogueira (SP), lembrou que os últimos dias foram extremamente tristes para a literatura brasileira. “Perdemos três grandes escritores, que enriqueceram a cultura do nosso país de forma muito especial. Três perdas irreparáveis e um consolo: eles serão imortalizados pelas suas obras”, apontou o tucano, que citou uma de suas frases preferidas de Ariano: “Dizem que tudo passa e o tempo duro tudo esfarela”.

Otavio Leite (RJ), por sua vez, também ressaltou a semana de perdas para a cultura nacional. “Sua obra permanecerá viva. Ariano Suassuna sempre defendeu a cultura popular brasileira, além de ser um dos maiores dramaturgos do país e autor de romances e poemas”, relatou.

Suassuna morreu no Recife, nessa quarta-feira (23), vítima de uma parada cardíaca provocada pela hipertensão intracraniana. O velório do corpo do escritor começa à noite, no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual, que decretou luto oficial de três dias. O enterro ocorre nesta tarde no cemitério Morada da Paz, em Paulista, no Grande Recife.