Seu browser não suporta JavaScript!

20/02/2013 | Portal G1

Na chegada a Brasília, Yoani se diz feliz e minimiza protestos

A blogueira cubana Yoani Sánchez afirmou nesta quarta-feira (20), na chegada a Brasília, que o Brasil é "melhor" do que ela esperava e que está muito feliz. Yoani minimizou os protestos contra ela na Bahia, onde a apresentação de um documentário sobre liberdade de expressão em Cuba chegou a ser suspensa devido a uma série de manifestações de simpatizantes do regime dos irmãos Fidel e Raúl Castro.

"[O Brasil] é melhor, muito mais [do que eu esperava]", disse. Perguntada se estava feliz, ela respondeu: "Imagina minha felicidade, multiplica por 10". Ela deu as declarações no Aeroporto Internacional de Brasília ao chegar da Bahia.

Sobre as manifestações contra a sua presença na Bahia, ela disse que não ficou chateada. "Não tem problema. Quem dera tivéssemos essas manifestações em Cuba."

Depois, Yoani seguiu para a Câmara dos Deputados, onde foi recepcionada por uma comissão de parlamentares e pelos líderes do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), e do DEM, Ronaldo Caiado (GO). Não havia protesto, apenas um grupo que levantou cartaz com a frase "Viva, Yoani".

Quando desceu da van branca que a levou, começou um empurra- empurra de jornalistas. Por conta disso, seguranças do legislativo tiveram de abrir caminho. Yoani estava sorridente e foi acompanhada de Caiado e Sampaio. Seguiu para o plenário principal da Câmara, que foi fechado para a imprensa. Só deputados e assessores puderam entrar.

Yoani participou nesta tarde do lançamento do documentário “Conexão Cuba-Honduras”, que trata de liberdade de expressão e direitos humanos. Ela fez um discurso de cerca de cinco minutos após a exibição de trechos do filme. "Tenho a responsabilidade de narrar essa Cuba real, na qual opinião é traição. Narrar o dia a dia se converte em um problema político. [...] Por que um blog tem de trazer a vigilância policial e a satanização de uma pessoa? A resposta é fácil: em Cuba vivemos uma grande censura".

Proteção policial

Na terça, o deputado federal Mendonça Filho (DEM-PE) protocolou na Mesa Dretora da Câmara dos Deputados um requerimento solicitando que a Casa requisite ao Ministério da Justiça proteção policial para a jornalista.

O pedido de Mendonça Filho deverá ser apreciado pelos dirigentes da Mesa da Câmara nesta quarta (20). Caso seja aprovado, a Casa enviará um ofício para o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

No documento, Mendonça Filho também pediu que a Polícia Federal (PF) investigue as denúncias publicadas na edição desta semana da revista “Veja” de que um integrante do Palácio do Planalto teria recebido, na embaixada de Cuba, um CD “com informações sobre Yoani.

Na segunda, por meio de sua assessoria de comunicação, a Secretaria Geral da Presidência da República admitiu que o servidor Ricardo Poppi Martins, coordenador de Novas Mídias e Outras Linguagens de Participação da pasta, recebeu o material de diplomatas cubanos. A Secretaria, no entanto, assegurou que o funcionário “não fez qualquer uso” do CD. A pasta não informou o que estava gravado na mídia eletrônica.

* Colaborou Rafael Santos, da TV Globo

Legenda da foto: A blogueira cubana Yoani Sánchez ao lado do deputado Otavio Leite (PSDB-RJ)

Foto: Rafael dos Santos / TV Globo