Seu browser não suporta JavaScript!

03/12/2003 | Jornal O Dia

Namorando para casar

Eles ainda não trocaram presentes, mas o encontro entre petistas e tucanos, ontem, no restaurante Navegador, no Clube Naval, teve direito a uma ceia de Natal.

Entre posta de bacalhau e peru assado, os dois partidos concordaram que podem dar as mãos nas eleições do ano que vem em alguns municípios. No almoço ficou decidido que haverá encontro dia 11 com o menu diferente: os dois partidos vão mapear os 92 municípios do estado para descobrir onde pode haver casamento entre tucanos e petistas. Há ainda chance de PT e PSDB apoiarem candidato de um terceiro partido.

O secretário-geral do PT, Jorge Bittar, e o presidente regional petista, Gilberto Palmares, e os deputados estaduais tucanos Otavio Leite, pré-candidato a prefeito no Rio, e Luiz Paulo Corrêa da Rocha, vice-presidente regional do partido, saíram do almoço em clima de confraternização.

“Nosso principal adversário é o Garotinho. PSDB e PT têm chances reais em várias prefeituras”, destacou Luiz Paulo. Ele será responsável, ao lado de Gilberto Palmares, de mapear as cidades. “Estamos numa posição confortável de conversar com PSDB. Os dois são adversários no plano federal, mas há preocupações comuns”, disse Palmares.

Pretendentes ao casório não faltam. O PT tem mais chances de indicar o candidato principal em Nova Iguaçu, Magé e Paracambi. Já os tucanos voariam na frente em Campos e em Macaé. Já em Nova Friburgo, os dois partidos podem apoiar a prefeita Saudade Braga, que ficou no PSB rompida com Garotinho. Outros locais, só depois de feito o mapeamento do estado.

Para a capital, no entanto, as conversas ficaram restritas a possível segundo turno. “A princípio, nossos partidos apresentarão candidaturas próprias no primeiro turno na capital”, disse Bittar. Otavio Leite concluiu: “Isso não vai impedir que haja debate”.