Seu browser não suporta JavaScript!

10/02/2014 | Portal do PSDB na Câmara

'Não adianta ter estádio padrão Fifa se os hospitais continuam com padrão África'

Governo muda discurso sobre a Copa do Mundo por incompetência e falta de planejamento

Por Gabriel Garcia

Deputados do PSDB afirmaram que a mudança de discurso da presidente Dilma Rousseff sobre a Copa do Mundo de 2014 é uma clara demonstração da falta de planejamento. Na opinião dos parlamentares, a petista está preocupada apenas com as pesquisas eleitorais. Destacam que as obras dos aeroportos e de mobilidade urbana estão atrasadas, o brasileiro vive assustado com a violência que invade as ruas do país e a saúde pública passa por um caos.

Para o líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy (BA), a presidente está pautada pelo interesse político. “Os governos sérios se guiam por planejamento, reformas estruturantes e metas. A gestão Dilma se orienta por pesquisas com foco nas eleições. Aumentar os gastos com propaganda da Copa será mais um atestado do seu fracasso e não vai iludir a população.”

Standard Podcast [ 1:44 ] Play in Popup | Download

A “Folha de S.Paulo” afirma que, após as manifestações contrárias ao evento esportivo, a presidente resolveu reformular o discurso. A mensagem oficial deixou de enfatizar as obras de infraestrutura que ficariam como herança e passou “a enaltecer o ufanismo e o orgulho do país do futebol em sediar a Copa”.

Segundo a reportagem, surgiu o bordão “Copa das Copas” em detrimento do “Pátria de Chuteiras”, inicialmente adotado. A mudança ocorre após pesquisas internas apontarem que a população via com ceticismo o “legado” do evento e enxergava as obras como uma “maquiagem” para garantir o sucesso da Copa.

Para o deputado Otavio Leite (RJ), os protestos mostram que há uma insatisfação generalizada com o PT. “A Copa do Mundo vai servir para um grande momento de reflexão sobre o futuro do Brasil, sobre as prioridades que o Brasil tem que ter. Não adianta ter estádio padrão Fifa se os hospitais continuam com padrão África”, disse. “O Brasil poderia gastar muito mais em infraestrutura urbana e mobilidade do que em estádios.”

O deputado Paulo Abi-Ackel (MG) afirma que existe uma verdadeira confusão causada pela incompetência administrativa da presidente Dilma. “Há obra superfaturada, muita desorganização, aditivo contratual que demonstra bem a maneira irresponsável de governar, que é uma marca registrada do governo do PT”, criticou.

Abi-Ackel acrescenta que a última década foi perdida. Segundo ele, o Comitê Executivo da Fifa confirmou em outubro de 2007 o Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014, “mas o governo resolveu tomar providência apenas nos últimos dois anos”.

Levantamento

“O futebol deve ser usado como um fim, não como um meio para atingir outros fins”, diz a conclusão do levantamento qualitativo, que reuniu grupos de discussão para capturar tendências. Segundo a “Folha”, foram esses grupos que usaram espontaneamente o termo “maquiagem” para definir as ações do governo.

As sondagens detectaram uma percepção mista sobre o Mundial: um formado pelo sentimento de orgulho, união e nacionalismo e outro, negativo, formado pelo temor com a falta de segurança pública e obras atrasadas.