Seu browser não suporta JavaScript!

26/03/2007 | Site do PSDB Nacinal

No RJ, Otávio Leite recolheu 1,5 mil assinaturas em três horas

Brasília (26 de março) - Autores do requerimento que pede a criação da CPI do Apagão Aéreo, os deputados Otavio Leite (RJ) e Vanderlei Macris (SP) recolheram, nos aeroportos Santos Dumont (Rio) e Congonhas (São Paulo), assinaturas de passageiros a favor da instalação da comissão. Gustavo Fruet (PR) fez o mesmo no aeroporto de Curitiba. A mobilização dos parlamentares começou na última quinta-feira no terminal de Brasília e desde então não parou. Outros tucanos, como William Woo (SP), Paulo Renato Souza (SP) e José Aníbal (SP), também participam do movimento.

SESSÃO CANCELADA

Para Leite, o apoio popular é indispensável em um momento em que o governo luta de todas as formas para barrar a investigação do caos aéreo que assola o país. ´O abaixo-assinado ajuda a sensibilizar tanto a Câmara quanto o Supremo Tribunal Federal, que tem uma decisão importante nas mãos. Precisamos fortalecer a tese da necessidade urgente de se criar a CPI´, observou.

Nesta segunda-feira, o parlamentar recolheu 1.500 assinaturas de passageiros em apenas três horas. ´Foi um ato simbólico, mas que surpreendeu pela espontaneidade das pessoas que queriam assinar o documento. Os passageiros estão muito indignados e querem providência para solucionar esse caos aéreo´, afirmou o tucano. Já Macris disse que cerca de 4 mil pessoas assinaram o abaixo-assinado na capital paulista.

A rotina de atrasos não mudou nesta segunda-feira. Até às 17h, a Infraero registrava atrasos de mais de uma hora em 176 dos 1.141 vôos programados entre 0h e 15h. O índice representa 15,4% do total. Os parlamentares também são vítimas do caos. Na Câmara, a sessão deliberativa foi adiada para o começo da noite, pois grande parte dos parlamentares não conseguiu chegar a Brasília.

Os parlamentares aguardam com expectativa decisão favorável do STF a respeito do mandado de segurança impetrado por PSDB, PFL e PPS pedindo a instalação da CPI. O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), prometeu enviar amanhã ao ministro Celso de Mello, relator do caso, as informações solicitadas pelo magistrado sobre a comissão. ´Quanto mais a Câmara demorar para enviar esse material, pior. Toda a população está vendo essa desorganização flagrante e crônica nos aeroportos que precisa ser investigada´, finalizou.