Seu browser não suporta JavaScript!

10/02/2014 | Jornal O Globo

No Rio, Aécio visita a sede do AfroReggae

No Rio, Aécio diz que Azeredo é ‘homem de bem’, mas vai esperar defesa de ex-governador de MG

Por Letícia Fernandes

RIO - Em clima de campanha, o pré-candidato à Presidência pelo PSDB, senador Aécio Neves, visitou nesta segunda-feira a sede do AfroReggae, no Rio. O tucano criticou o governo federal na área econômica e minimizou as declarações do ex-governador de Minas Gerais, deputado Eduardo Azeredo, também do PSDB. Em entrevista publicada nesta segunda-feira pelo jornal “Folha de S.Paulo”, Azeredo disse que é “tão inocente do mensalão mineiro quanto Lula” do mensalão petista.

Para Aécio, o impacto da declaração do deputado na campanha presidencial é “absolutamente nenhum”:

- São questões específicas. Impacto na campanha, absolutamente nenhum. Já disse e repito: Azeredo é conhecido e reconhecido em Minas como um homem de bem, mas nós do PSDB vamos respeitar a decisão do Supremo, e vou esperar que ele possa se defender.

Perguntado sobre o que achava da comparação que Azeredo fez com o presidente Lula, o pré-candidato desconversou:

- Não sei, não li a entrevista.

Aécio, que ainda não tem candidato no Rio e busca um nome novo para disputar as eleições do Estado, chegou acompanhado de um assessor e do deputado federal Otavio Leite (PSDB-RJ).

O pré-candidato ao Planalto ironizou o apagão ocorrido na semana passada em várias cidades do país. Segundo ele, “seria cômico se não fosse trágico”:

- Estou muito preocupado, nenhuma área teve atuação tão pessoal da presidente como a área da energia. O governo afugentou os investidores, seria cômico se não fosse trágico, mas é trágico. Só não temos apagão em mais extensão porque o Brasil parou de crescer. Se estivéssemos crescendo como apregoou o ministro da Fazenda, não teríamos energia. A falta de planejamento e a incompetência chegaram num setor absolutamente essencial, e o que esperamos pela frente é mais crescimento pífio da economia - disse.

Houve espaço até para promessas de campanha. Apesar de afirmar que a parceria com o Afroreggae vem de “muito antes de campanha presidencial”, Aécio disse que, caso eleito, levará os trabalhos do grupo para todo o Brasil.

O parlamentar comentou ainda a ausência do governador Geraldo Alckmin nas viagens recentes de Aécio pelo interior de São Paulo e disse que não há ressentimentos:

- Não me incomodei de forma alguma. Há hoje uma unidade no PSDB como talvez não tenha havido em nenhum momento. Não seria correto da minha parte cobrar do governador que comparecesse a uma agenda partidária.

No fim do encontro, José Júnior, coordenador do Afroreggae, declarou voto a Aécio, que chamou de “irmão”, e ao atual vice-governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), pré-candidato ao governo estadual. Entre cumprimentos a ex-milicianos e ex-integrantes do tráfico, o tucano tirou fotos com o ex-traficante Francisco Paulo Testas Monteiro, conhecido como Tuchinha, que passou 21 anos preso por comandar a venda de drogas no Morro da Mangueira. Tuchinha é funcionário do Afroreggae, com carteira assinada, desde agosto de 2011.

P.s.: Esta foto não compõe originalmente a matéria do Globo

Foto: George Gianni