Seu browser não suporta JavaScript!

13/12/2011 | Jornal O Globo

O Globo: Investimento federal aquém do previsto no Rio

Investimento aquém do previsto no Rio

Está aquém da média nacional a execução orçamentária das estatais federais no Rio este ano. De acordo com a Portaria 29, publicada em 29 de novembro pelo Ministério do Planejamento, os gastos no estado, até outubro, estão pouco acima de um terço (36%) da dotação fixada para todo o ano. No Comperj, a Petrobras desembolsou R$1,8 bilhão de R$5,8 bi orçados. Diante dos números, o deputado Otavio Leite (PSDB-RJ) anunciou que entrará com requerimento de informação no Ministério de Minas e Energia. Quer saber por que os gastos da estatal estão aquém do previsto. Murilo Barella, do Departamento de Coordenação e Governança das Estatais no Planejamento, diz que os números do Comperj foram revistos e estão muito acima do que saiu na Portaria 29. A dotação para 2011 passou a R$4,913 bi, dos quais R$2,9 bilhões foram gastos até outubro. Barella afirma que os desembolsos no Rio são maiores, quando se consideram projetos que englobam outros estados, caso da exploração de óleo e gás na Bacia de Santos, do gasoduto Rio-ES e da hidrelétrica de Simplício. Nesse caso, os desembolsos chegam a 66%. Na média, o Rio recebeu 52% dos investimentos, contra 58% do país. O excesso de projetos (privados) em andamento no estado estaria atrasando obras estatais, por falta de mão de obra e equipamentos, diz. Ele nega qualquer relação com o ajuste fiscal.