Seu browser não suporta JavaScript!

25/10/2007 | Jornal O Globo

O Globo: Jobim admite ´condições péssimas´ no Galeão

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, admitiu ontem, numa visita ao Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim/Galeão, no Rio, que as condições do Terminal 1 “são péssimas”. A declaração foi feita após uma vistoria aos setores de embarque e desembarque, onde ele encontrou, entre outros problemas, infiltrações e goteiras no teto.

Após o tour, o ministro anunciou que, em 2008, serão investidos R$ 70 milhões em obras no Terminal 1, e que será lançado um pacote de redução de tarifas com objetivo de atrair mais vôos ao Galeão:

— A condição do Terminal 1 é péssima. Já vamos alocar uma verba de R$ 70 milhões para resolver este problema. Verificamos um problema de falta de layout de circulação, ou seja, você tem pontos de estrangulamento dentro do aeroporto. Outro problema é a ligação do Terminal 1 com o Terminal 2, onde sempre tem uma esteira (de passageiros) parada e aquele ali é um longo percurso. Se quisermos aumentar a demanda deste aeroporto, temos que resolver isso.

Jobim diz que governo resolveu falhas de segurança

O ministro veio ao Rio para uma cerimônia de anúncio de medidas de revitalização do Galeão. Como o evento foi cancelado por causa das fortes chuvas que castigaram a cidade, ele decidiu fazer uma vistoria no aeroporto internacional. Para Jobim, o governo já resolveu as falhas de segurança dos aeroportos e o desafio agora é solucionar os problemas de regularidade e pontualidade dos vôos. Segundo ele, redistribuir os vôos, desafogando Congonhas, é o caminho. — É preciso haver uma desconcentração de Congonhas. Para isso, temos que revitalizar outros aeroportos, como o do Rio. A questão da segurança está resolvida. Agora falta resolver a da regularidade e pontualidade.

Temos uma certa não atividade da Anac. O sistema não está funcionando, mas a partir de março esperamos começar a minimizar isso — comentou Jobim, garantindo que no final do ano não haverá “caos aéreo”: — Não vamos ter problema de caos aéreo, vamos ter problemas é de conforto. Conforto sim, segurança não.

Jobim afirmou que os governos estadual, municipal e federal estudam a redução de tarifas aeroportuárias no Galeão.

Entre elas, a isenção de taxas de controle aéreo dos aviões que vêm de São Paulo, a diminuição de taxas de estacionamento e das taxas de embarque.

Uma equipe do ministério, junto com a Infraero, estuda os descontos.

Durante a visita, o ministro ouviu reclamações de passageiros.