Seu browser não suporta JavaScript!

09/08/2011 | Jornal O Globo online, às 14h20m

O Globo: Oposição reage na Câmara sobre investigação no Ministério do Turismo

Por Diana Fernandes, Francisco Leali e Isabel Braga

BRASÍLIA - A oposição quer ouvir do ministro Pedro Novais esclarecimentos sobre desvio de verbas envolvendo o secretário-executivo do Ministério do Turismo, Frederico Silva da Costa, um dos 38 presos na operação Voucher , da Polícia Federal. Os deputados tucanos Otavio Leite (RJ) e Rui Palmeira (AL) vão protocolar na tarde desta terça-feira, na Comissão de Turismo da Câmara, requerimento de convocação do ministro. O PPS também vai pedir ao Tribunal de Contas da União (TCU) uma devassa completa em todos os contratos do ministério.

Há cerca de um mês, os parlamentares do PSDB protocolaram requerimento convidando o ministro ao colegiado depois de o GLOBO revelar que Novais, fechou um pacto com o governo do Maranhão de R$ 20 milhões para construir uma avenida em São Luís (MA). A soma de todos os outros 41 convênios novos do Turismo, no primeiro semestre, não chega a R$ 10 milhões. O requerimento tinha sido derrubado.

- Lembro que a base se mobilizou e esse Frederico (preso pela PF) estava lá articulando para derrubar a convocação do ministro na comissão. Agora, vamos apresentar novo requerimento. É preciso esclarecer o que está acontecendo no ministério - disse Otavio Leite.

Para o líder do PSDB na Câmara, Duarte Nogueira, o governo precisa mudar a sua forma de organização.

- Para quem achava que não podia ficar mais grave, está ficando. O vice-ministro do Turismo está preso. O governo precisa mudar a sua forma de organização, por partidos. Passado o escândalo do mensalão, agora nacos de poder são distribuídos aos partidos aliados, que fazem o que bem entendem das pastas. Isso leva à degradação dos serviços públicos e a um sucessivo rio caudaloso de corrupção.

Duarte também planeja pedir a convocação do Controlador-Geral da União, Jorge Hage. Para Duarte, o ministro Jorge Hagedeve explicar por que a Controladoria não observou antes tais indícios de desvios. O líder tucano também lembrou que o secretário-executivo já tinha sido acusado de irregularidades no governo Lula , e continuou no governo Dilma. Perguntado se a faxina agora é no PMDB, o líder do PSDB cobrou atitudes mais firmes da presidente:

- Se é no PR, PMDB, não importa. A presidente Dilma tem que ser firme, objetiva e rápida, porque se persistirem essas irregularidades, tão chocantes como a de hoje, colocam sob suspeição todo o conjunto do governo.

DEM recolhe assinaturas para a criação da CPI da corrupção

Já o DEM decidiu partir para uma nova ofensiva de coleta de assinaturas, pedindo a criação de uma CPI, que apuraria todas as denúncias recentes, envolvendo os diferentes ministérios.

- Há convicção de que não são fatos isolados - afirma o líder do DEM, deputado ACM Neto (BA). Existe uma corrupção endêmica e por isso só existe um caminho: criar a CPI da corrupção.

O líder da legenda no Senado, Demóstenes Torres (GO), já está redigindo um texto elencando os fatos concretos identificados nas denúncias, que vão embasar a CPI. Líderes do partido já começam a procurar os parlamentares.

- Vamos cobrar dos partidos do governo o apoio à CPI. Aqueles que não apoiarem, que assumam a responsabilidade, a começar pela presidente Dilma. Se ela quer fazer uma faxina completa, se não temer a investigação, que apóie a CPI.

ACM Neto argumenta que os problemas não são isolados em um partido ou outro, mas de todo governo:

- Não podemos separar a presidente Dilma. Além de integrar o governo no passado, ela nomeou. Se ela tem compromisso em desvendar as denúncias, que apoie a CPI. Se não, é jogo de cena.