Seu browser não suporta JavaScript!

01/05/2004 | Jornal O Dia

O troco de Denise Frossard

Mesmo que PSDB decida apoiar Cesar Maia, tucana vai fazer campanha contra o prefeito

No mesmo dia em que tucanos admitiram que a tendência do partido é pela coligação com o PFL na eleição à Prefeitura do Rio, a deputada federal Denise Frossard afirmou que vai partir para o ataque ao prefeito Cesar Maia (PFL). Três dias depois de desistir da candidatura à prefeitura, Denise disse que não irá apoiá-lo mesmo seja uma decisão do partido.

Ontem à tarde, os principais caciques do PSDB do Rio reuniram-se na casa do presidente regional, Marcello Alencar. O partido, que voltou à estaca zero, fará uma nova rodada de discussão na reunião da executiva, semana que vem. O encontro reuniu os deputados estaduais Otavio Leite e Luiz Paulo Corrêa da Rocha, além do deputado federal Eduardo Paes, que levou reivindicações de vereadores. Os candidatos exigem condições para que não sejam prejudicados, caso seja concretizada a aliança.

Segundo fonte do partido, os vereadores prevêem que a tendência é a coligação, devido ao pouco tempo para o partido desenvolver uma nova candidatura própria. Faltam apenas cinco semanas para a inscrição dos candidatos na Justiça Eleitoral. Entretanto, com a aliança os vereadores, acreditam que o partido perca votos de legenda, o que pode significar menos cadeiras na Câmara. Atualmente, o PSDB conta com apenas três vereadores: Luiz Carlos Ramos, Luiz Guaraná e Lucinha. Para compensar possíveis perdas, foram discutidas compensações, como apoio de Cesar na candidatura de tucanos e até cargos em secretarias.

Marcello Alencar afirmou que, fora as especulações, o importante é uma definição que fortaleça o partido no Rio. Na saída da reunião, Leite desconversou: “Estivemos refletindo sobre possibilidades, debatendo idéias”.

À noite, a deputada Denise Frossard afirmou que não deixará de intervir na eleição, aconselhando seus eleitores para as melhores propostas apresentadas pelos futuros candidatos, principalmente no que diz respeito à segurança pública. “Não aceito o continuísmo de Cesar Maia, que ignora os problemas da criminalidade, jogando a responsabilidade para o governo.

Denise acha que o partido acaba caso haja coligação com Cesar. Ela vai estudar as propostas dos candidatos Jorge Bittar (PT), Jandira Feghali (PC do B) e Marcelo Crivella (PL). “Sou uma pessoa que apoio propostas e não candidatos. Vou apoiar quem tiver uma proposta semelhante a minha”, disse Denise, que não pretende deixar o partido.