Seu browser não suporta JavaScript!

07/05/2013 | Portal do PSDB na Câmara

Omissão da Anatel no controle de qualidade deixa usuários cada vez mais insatisfeitos

Por Letícia Bogéa

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) não vem cumprindo o papel de cobrar das operadoras melhorias nos serviços de telecomunicações no país. Pelo contrário: passa a mão na cabeça das empresas, jogando para debaixo do tapete a insatisfação cada vez maior dos brasileiros com os serviços de telefonia. A revista “Veja” revelou que a entidade escondeu o aumento no índice de insatisfação do consumidor a pedido das companhias.

A revista mostrou que a agência gastou R$ 5,3 milhões no ano passado para medir o grau de satisfação dos usuários. E constatou o óbvio: os brasileiros não estão nada contentes. De 200 mil entrevistados, apenas 29,5% disseram estar satisfeitos com o serviço de telefonia móvel pós-paga, por exemplo. O deputado Otavio Leite (RJ) considerou um absurdo gastar dinheiro com a pesquisa, pois, segundo ele, não precisa de estudo para constatar o que está no dia a dia das pessoas há um bom tempo: a falta de qualidade nos serviços de telefonia.

“Não tem uma que funcione bem. O PSDB contribuiu com a expansão do acesso à telefonia. No entanto, o governo petista fez com que o serviço ficasse mais caro e mais complicado para o cidadão”, criticou nesta terça-feira (7). De acordo com o tucano, a Anatel não exige controle e eficácia das companhias. “É a incompetência generalizada.”

A pesquisa mostra que houve uma piora generalizada na avaliação desses serviços entre 2002, data da sondagem anterior, e 2012. Numa escala de zero a cem pontos, o índice de satisfação com o funcionamento dos celulares pós-pagos, por exemplo, passou de 71,4 para 53,7.

Nos últimos dez anos, o mercado de telefones fixos e celulares cresceu no sentido inverso da qualidade do serviço. Os usuários de hoje estão mais insatisfeitos com o atendimento, os preços e a qualidade do que há uma década. À frente da Comissão de Ciência e Tecnologia, o PSDB vem cobrando reiteradamente da Anatel que exija das operadoras melhoria nos serviços.

Diante do quadro, Otavio Leite infomou que vai cobrar providências da agência. “A população poderia usufruir de um serviço de qualidade, mas, por inércia da Anatel, o que se vê é omissão, falha e serviço de péssima qualidade”, lamentou.

Insatisfação generalizada

- O estudo avaliou ainda a satisfação por estados e por empresas. Nesta última aferição, destacam-se entre as com pior avaliação empresas que vêm sendo autuadas com frequência pela Anatel nos últimos meses. Em telefonia móvel pré-paga, a TIM aparece com o menor índice de satisfação, 58,6 pontos. No pós-pago, a TIM novamente está na lanterna, mas junto com a Oi, ambas com 49,8 pontos. Já a Telefônica teve a pior avaliação na telefonia fixa residencial, 49,8.