Seu browser não suporta JavaScript!

10/11/2010 | Jornal da Câmara

Oposicionistas cobram demissão de Haddad

O líder do DEM, Paulo Bornhausen (SC), defendeu ontem, no Plenário, a demissão do ministro da Educação, Fernando Haddad, devido aos problemas na realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Falhas na aplicação das provas levaram a Justiça a suspender a exame, que substitui o vestibular em universidades federais.

Durante a votação da MP 493/10, que destinou recursos para o pagamento de funcionários temporários do Inep, organizador do exame, o PSDB tentou retirar o dispositivo. O deputado Otavio Leite (PSDB-RJ) disse que o Inep “mostrou incompetência”. “Foi um absurdo que vitimou milhões de jovens brasileiros.” Antonio Carlos Pannunzio (PSDB-SP) disse não ser admissível “premiar a inépcia”.

Cerca de 3,3 milhões de estudantes fizeram a prova. Segundo o Ministério da Educação, apenas 16 mil foram afetados em todo o País. No Plenário, o deputado Eduardo Valverde (PT-RO) respondeu às críticas. “A oposição quer um factoide qualquer para aprofundar sua derrota eleitoral. O Inep é reconhecido há muitas décadas pela sua competência, pelo seu trabalho pela melhoria da educação pública”, disse. Gastão Vieira (PMDB-MA) comparou a logística do Enem à eleição por urna eletrônica. “Podem surgir problemas.”