Seu browser não suporta JavaScript!

12/06/2012 | Portal SRZD (Sidney Rezende)

Otavio Leite confia na 'força das ideias' para assumir prefeitura do Rio

Por Luis Philipe Souza

O deputado federal Otavio Leite (PSDB) foi o primeiro pré-candidato a oficializar a concorrência à prefeitura do Rio de Janeiro, no último domingo. O parlamentar de 50 anos concorre pela primeira vez ao cargo, mas desde o ano passado - em entrevista ao SRZD - ele já se dizia pronto e "transbordando ideais" para ser empossado como prefeito.

Agora, como candidato oficial, Leite falou novamente com o SRZD e disse que acredita na "força das ideias" para chegar ao segundo turno e vencer as eleições. Confrontado com o fato de seus concorrentes terem prováveis preferências de voto em fatias da sociedade - Freixo (jovens) e Rodrigo Maia (evangélicos, por conta do apoio da família Garotinho) - o tucano disse que tem um projeto arrojado e moderno, e que se sente seguro para o confronto.

"É o somatório de um bom conceito de diversos segmentos. Vou buscar os votos dos professores, médicos, artistas, esportistas, enfim, de todos os setores. Me guio na minha história, na força da militância política lá de trás. Acredito que isso mostra uma retaguarda", afirmou, ressaltando as raízes no movimento estudantil e a extensa experiência no Poder Legislativo.

Acessibilidade e transparência

Na conversa com o SRZD, o primeiro candidato oficial à prefeitura da cidade do Rio de Janeiro também fez um breve comentário sobre o atual governo. Ele afirmou que, caso seja eleito, irá implantar um projeto de transparência online, que hoje é "inexistente".

"A divulgação feita através do Diário Oficial é pré-histórica. Todos os processos licitatórios tem que ser de fácil compreensão para o público. Tem que ser online, de fácil acesso", explicou.

Além disso, Leite promete implantar um projeto de acessibilidade para deficientes físicos - uma das bandeiras de sua trajetória legislativa - equivalente ao estilo desenvolvimentista do ex-presidente Juscelino Kubitschek. Ele também criticou o projeto do prefeito Eduardo Paes, alegando que as verbas para o investimento em acessibilidade foi cortada.

"A primeira coisa que ele fez foi cortar as verbas destinadas aos deficientes. Nós vamos dobrar, fazendo um projeto de transporte com vans para os deficientes. Se JK fez o projeto de 50 anos em 5, nós vamos fazer para os deficientes 40 anos em 4", afirmou.

As eleições à prefeitura do Rio de Janeiro ocorrerão em outubro deste ano, quando os eleitores cariocas também votarão para decidir quais políticos ocuparão as vagas de vereadores.

Foto: Reprodução de TV