Seu browser não suporta JavaScript!

24/11/2015 | Globoesporte.com

Otavio Leite pede prorrogação de prazo de adesão ao Profut

Na Ferj, Hamam diz que não há previsão de prorrogação do prazo do Profut

Por Vicente Seda

Em reunião na sede da Federação de Futebol do Rio (Ferj) nesta terça-feira, o secretário de futebol do Ministério do Esporte, Rogério Hamam, ouviu pedidos de prorrogação de prazo de adesão ao Profut, mas alertou: não há, por ora, previsão de que a data final, a próxima segunda-feira, seja alterada. Mas ele afirmou que o ministério é "sensível à causa", sinalizando que isso ainda pode acontecer até o fim da semana. O relator do Profut, deputado Otavio Leite, também presente ao evento, disse que a extensão do prazo é fundamental e pediu à Ferj que envie ofícios aos órgãos competentes para dar "força política" a essa demanda.

- O Ministério do Esporte está totalmente aberto a ouvir as demandas dos clubes do Rio de Janeiro. Em relação ao prazo e à necesisdade de CND, hoje não existe previsão de prorrogação do prazo. Então, se estão em fase final de organizar os documentos, cumpram o prazo, não depende somente do Ministério do Esporte. Hoje não existe previsão de prorrogação. Embora sejamos sensíveis à causa, estamos discutindo internamente as soluções. Mas hoje ainda não há essa previsão de prorrogação do prazo - disse Hamam.

Relator do Profut pede mais um ano de prazo

Leite participou somente do início da reunião, mas discursou pedindo que a Ferj envie um documento à Presidência da República, Casa Civil e Ministérios do Esporte e da Fazenda. Ele acredita que, dessa forma, haverá a força política necessária para que uma Medida Provisória determine a prorrogação. Até a última sexta-feira, somente 29 clubes aderiram, e o deputado se disse "profundamente preocupado" com a falta de tempo. O deputado quer mais um ano de prazo para adesão.

- Estou profundamente preocupado pela carência de tempo para que todos se organizem. Há também o problema da CND (Certidão Negativa de Débito), mas a gente teve a preocupação de colocar um dispositivo no qual, se o clube demonstrar que está em dia, tudo bem. Temos de dar solução a um entrave que é emergencial, porque se não for feito isso, gera um transtorno não é no Rio, é em todo o Brasil, do ponto de vista de como organizar campeonatos. Conseguir uma prorrogação é fundamental, pelo que pude aferir, e isso só pode ser feito como uma Medida Provisória. Se o Rio de Janeiro pudesse tirar um documento oficial e encaminhar à Casa Civil, à presidência, ao ministro, teríamos mais condições políticas de obter essa dilatação do prazo.

Rubens Lopes: "Medicação em dose excessiva vira veneno"

O presidente da Ferj, Rubens Lopes, também demonstrou preocupação, não somente com o prazo. E ouviu de Hamam apoio para que a entidade manifeste por escrito sua posição:

- Temos de tomar cuidado para não termos aí uma tabela de asteriscos, que não sabemos se terá validade. Precisamos desatar esses nós trazidos pelo Profut. Os benefícios são imensos, não veremos outros iguais no futuro. Mas temos de ajustar a dose. Medicação em dose excessiva vira veneno - disse Lopes.