Seu browser não suporta JavaScript!

23/07/2013 | Jornal O Globo on line

Papa diz que teve uma ‘magnífica acolhida em terra carioca’

RIO - Feliz com a recepção que recebeu do povo carioca em sua viagem ao Brasil para a Jornada Mundial da Juventude, o Papa Francisco fez questão de agradecer o carinho recebido no seu primeiro dia no Rio de Janeiro. No começo da manhã desta terça-feira, o Pontífice tuitou que teve uma “magnífica acolhida em terra carioca”. “Obrigado! Obrigado! Obrigado a vocês todos e a todas as autoridades pela magnífica acolhida em terra carioca”, escreveu Francisco. Mais tarde, o Papa recorreu mais uma vez à rede social para falar que a JMJ é a demonstração de que a Igreja conseguiu manter o espírito jovem. "A Igreja é jovem e, na JMJ, se vê isso muito bem. Que o Senhor sempre nos mantenha, a todos, jovens de coração", afirmou ele. De acordo com padre Jorgão, paróco da igreja Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, o Papa Francisco celebrou uma missa nesta terça-feira às 7h na capela da residência Assumpção, onde está hospedado. Logo depois, o Pontífice tomou café e se serviu com um sorvete italiano, presente de Jorgão, que é responsável pelo coral que tocou na cerimônia de entrega das medalhas. O Papa Francisco desembarcou no Rio de Janeiro pouco antes das 16h desta segunda-feira. Na chegada à cidade, o Pontífice teve uma recepção calorosa nas ruas e chegou a ficar preso em um engarrafamento, o que o deixou vulnerável em alguns momentos, disseram especialistas, que criticaram a falta de planejamento e o risco de deixar Francisco em um engarrafamento. Sempre sorridente, o Papa viajou pela cidade com o carro blindado com a janela aberta e acenou para todos nas ruas do Rio. Em seguida, ele passou pelo Centro do Rio a bordo do papamóvel para delírio de milhares de fiéis. O catolicismo na América Latina “Hoje começamos uma semana estupenda no Rio. Que ela seja uma ocasião para aprofundar a nossa amizade em Jesus Cristo!”, tuitou o Pontífice. Após a passagem pelas ruas, o Papa participou de um evento fechado no Palácio Guanabara com a presença de autoridades como a presidente Dilma Rousseff e o governador Sérgio Cabral. No seu primeiro discurso, Francisco evitou falar sobre os protestos que vêm acontecendo no Brasil desde o mês passado. Mas se dirigiu aos jovens dizendo que “Cristo bota fé” neles. No voo para o Rio, o Pontífice já revelara a sua preocupação com o desemprego dos jovens no mundo e o que definiu como “cultura do descartável”. Do lado de fora, manifestantes entraram em confronto com a Polícia Militar durante um protesto contra o governador. Nesta terça-feira. o Papa não tem agenda prevista. Nesta quarta, Francisco seguirá para Aparecida, em São Paulo, para um ato ecumênico. O santuário deve receber 200 mil fiéis.