Seu browser não suporta JavaScript!

12/09/2011 | Jornal Monitor Mercantil digital

Parlamentar tucano diz que declaração de Cabral apoiando volta de tributo é "um equívoco"

Por Marcelo Bernardes

A tentativa da base governista no Congresso de reeditar a extinta CPMF, com outro nome, para custear a saúde foi e é repudiada pela população brasileira. O deputado federal Otavio Leite (PSDB), por exemplo, fez questão de afirmar que seu partido, bem como a oposição, irão tentar bloquear essa insensatez de alguns parlamentares. "A falácia de que o governo não tem recursos para subsidiar a saúde", segundo ele, "é mentira".

- Essa iniciativa da base não condiz com a realidade da arrecadação do Governo Federal, que bate recordes todos os meses. Essa iniciativa, no mínimo, é um absurdo. Não tem lógica impor mais um imposto ao povo brasileiro. Nós vamos trabalhar para mobilizar a sociedade para impedir essa violência contra o bolso do povo brasileiro".

O parlamentar tucano considera ainda um equívoco do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, de apoiar essa idéia. Na sua opinião, Cabral está indo na contramão. O Governo Federal, diz, tem ampliado sua arrecadação conforme dados do Tesouro Nacional.

- A posição do governador Cabral choca e vai contra os interesses da sociedade. Vamos nos mobilizar, vamos para as ruas. Não basta estar arrecadando. O governo quer arrecadar mais e mais.