Seu browser não suporta JavaScript!

04/03/2008 | Jornal de Turismo

Parlamentares do Rio pedem mais investimentos para o Galeão

Relatório parcial prevê aporte de R$ 30 milhões para obras no aeroporto, menos da metade solicitada pela bancada fluminense

O aeroporto Internacional do Rio de Janeiro - Antônio carlos Jobim/Galeão passará por expressivas reformas em 2008. Entretanto, o valor de R$ 30 milhões, previsto no relatório parcial do orçamento, desagradou a bancada do Rio de Janeiro na Câmara dos Deputados.

No projeto de lei orçamentária do governo federal para este ano, a bancada do Rio fez um esforço contábil para priorizar as reformas do Galeão. Dos R$ 182 milhões propostos, o relatório parcial não acolheu nem a metade (R$ 30 milhões). Essa redução pode colocar em risco a meta da Infraero de reformar completamente o aeroporto em três anos.

O deputado Otavio Leite (PSDB-RJ), que pilotou as emendas para o aeroporto, defende investimentos de primeira classe. E afirmou que vai lutar por mais verba para o Galeão. ´A obra é uma questão de honra para o Rio de Janeiro. É a proposta número um da bancada, unânime e consensual´, disse Leite.

O valor de R$ 30 milhões fica muito aquém da necessidade real do aeroporto, onde segundo um relatório da Infraero, seria necessário algo em torno de R$ 100 milhões para deixar o aeroporto apto a receber mais passageiros, oferecendo mais conforto e eficiência nos serviços.

A idéia do deputado Otavio Leite é mobilizar o setor do turismo e deputados da bancada fluminense para pressionar o relator do projeto, deputado Zé Pimentel (PT-CE), a aumentar a verba para o Galeão.

O deputado chama a atenção para a distribuição das despesas de R$ 1,65 bilhão, estabelecidas pelo governo federal para a Infraero investir em aeroportos em todo o País. Enquanto que para Guarulhos (São Paulo) são previstos gastos de R$ 390 milhões, o Tom Jobim fica com uma fatia de R$ 36,1 milhões, menor que do aeroporto de Macapá, com R$ 36,3 milhões.

´A ausência de obras atrapalha a captação de novos vôos para o Tom Jobim. É uma discriminação contra o Rio´, reclama Leite.

MOBILIZAÇÃO

O deputado Otavio Leite confia na união entre a bancada do Rio de Janeiro e o trade turístico para que esta mobilização sirva para pressionar o relator do projeto, o deputado Zé Pimentel (PT-CE), a aumentar a verba para o aeroporto.

O Galeão é a porta de entrada da maioria dos turisats estrangeiros no Brasil. Segundo dados da Embratur, cerca de 40% dos turistas de outros países que visitam o Brasil escolhem o Rio de Janeiro como destino turístico e, consequentemente, utilizam o aeroporto Galeão.

O aeroporto está ligado a mais de 18 países e tem capacidade de atender até 15 milhões de usuários por ano, em dois terminais de passageiros. O complexo aeroportuário conta também com a maior pista de pouso do Brasil, com 4.200 metros de extensão.