Seu browser não suporta JavaScript!

20/11/2012 | Portal do PSDB na Câmara

'Por cinco anos seguidos aprovamos verbas e acompanhamos a execução de obras dos aeroportos do Rio que nunca se concluem'

Deputados criticam situação de aeroportos e alertam para impactos a megaeventos esportivos

Em meio a atrasos em obras de estádios, aeroportos e infraestrutura hoteleira e de transportes, o governo federal anunciou que as concessões dos aeroportos do Galeão (RJ) e Confins (MG) deverão ser adiadas para o ano que vem. Segundo reportagem do jornal “O Globo”, fontes do próprio governo alegam que não existe tempo hábil para a elaboração de um edital e a aprovação do Tribunal de Contas da União (TCU), o que deve ocorrer entre março e abril de 2013.

O deputado Paulo Abi Ackel (MG) acredita que os atrasos contínuos na melhoria da infraestrutura dos aeroportos podem acarretar sérios danos à organização de eventos como a Copa das Confederações, em 2013, e a Copa do Mundo, em 2014. O parlamentar salienta o caso específico do aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, que tem tido um crescente número de passageiros e voos. “O governo peca pela dificuldade em tomar decisões. Fica óbvio que as autoridades não estão atentas ao grande fluxo do aeroporto, que hoje opera com sua capacidade comprometida pela grande demanda e infraestrutura inadequada”, afirma.

O tucano relata que Confins possui uma série de problemas que comprometem sua capacidade operacional. “Há carência de estacionamento para veículos e aeronaves, equipamentos, desconforto para os passageiros, engarrafamentos nas vias de acesso. Providências são necessárias para que possa ser imediatamente ampliado, via concessões ou recursos do Tesouro Nacional, antes que a situação se agrave”, aponta.

Já o deputado Otavio Leite (RJ) lembra que não é de hoje que o partido vem apontando graves falhas nos serviços do setor de infraestrutura aeroportuária brasileira. Ele exemplifica o caso da CPI do Apagão Aéreo de 2007, requerimento apresentado em parceria com o também tucano Vanderlei Macris (SP) para investigar o acidente entre o Boeing da Gol e o jato Legacy, que matou 154 pessoas em setembro de 2006.

“Desde aquele tempo, a solução está em implantar um sistema de concessão dos aeroportos. O caso do Rio é emblemático. Por cinco anos seguidos aprovamos verbas e compramos a execução de obras de modernização que nunca se concluem. A gestão dos aeroportos que o governo do PT adota é o símbolo da incompetência e ineficácia”, avalia.

Leite mostra-se preocupado com o atual estado dos aeroportos do Rio de Janeiro, Galeão, Santos Dumont e Tom Jobim, em face da aproximação dos grandes eventos esportivos, com o país “ainda atolado em gestão ineficaz. Esse atraso é apenas mais um capítulo de uma novela cujo enredo não consegue sair da incompetência”, finaliza.