Seu browser não suporta JavaScript!

26/08/2004 | Jornal Tribuna da Imprensa

Prefeito acusa Garotinho de coação

O prefeito e candidato à reeleição Cesar Maia (PFL) disse que a entrega de cestas básicas a famílias carentes que fazem parte da ONG BR 21, dirigida pelo secretário estadual de Segurança Pública e presidente regional do PMDB, Anthony Garotinho, é o menor dos males provocados por Garotinho no Estado. Segundo Maia, o secretário esconde façanhas muito piores. Uma delas, disse, é a de coagir pessoas.

Maia denunciou que o secretário usa o seu poder e manda delegados e coronéis da Polícia Militar prestar favores a ele, que vão além das tarefas de polícia. O prefeito disse que ele é um dos principais alvos da coação de Garotinho. Tudo, segundo ele, para impedir que conquiste, em alguns lugares, como por exemplo no bairro da Tijuca, o eleitorado já seduzido pelo PMDB com a entrega de cestas básicas e outros benefícios.

´Já chegaram até a mim delegados e coronéis da Polícia Militar pedindo para que eu não vá a tal lugar devido a algum tipo de problema. Mas o objetivo não é garantir segurança. É apenas para que eu não chegue na área eleitoral dele´, acusou o candidato da coligação ´Feito pro Rio´ (PFL, PSDB, PV, PSDC, PRTB, PTN e PTdoB).

Domínio

Apesar das supostas tentativas de Garotinho de colocar o prefeito distante dos bairros dominados pelo PMDB, Maia demonstrou não dá a mínima e que vai a qualquer lugar. ´Vou a qualquer lugar, até porque a polícia me conhece. Eles (policiais) querem ver qualquer um como secretário de Segurança, menos ele (Garotinho)´.

O pefelista também fez questão de dizer que as tentativas de coação atingem outras pessoas e os demais candidatos. ´Perguntem aos candidatos do que ele é capaz. Faz pressão, não dá autorização para eventos e causa constrangimento´, enumerou. De acordo com Maia, a violência na cidade ganhou altas proporções, porque a própria polícia rejeita o comando de Garotinho.

Segundo o prefeito, Garotinho não aparece nas campanhas do candidato Luiz Paulo Conde (PMDB) por ser uma figura política da maior rejeição. ´No Rio, ele (Garotinho) é a figura política de maior rejeição. Por isso, não aparece nas campanhas do Conde´. E completou: ´Se Garotinho aparecer, Conde cai de 7%, 8% para 2% nas pesquisas de intenção de voto´, finalizou.

Onipresente

A campanha de Maia ganhou uma novidade. A partir de agora, o prefeito vai estar em mais de um lugar, contando com a ajuda de um boneco que tem a mesma altura (1 metro e 82 centímetros) e características dele. Até o casaco laranja foi clonado. A idéia é expandir o corpo-a-corpo. Quem vai comandar as caminhadas do boneco será o candidato a vice, deputado Otavio Leite (PSDB).

Ontem, na parte da manhã, o prefeito gravou para o programa do horário eleitoral gratuito, recebeu apoio da Associação de Motociclistas do Rio e alunos da rede pública. Em seguida, almoçou com a mulher, que estava aniversariando. À tarde, visitou o Memorial Vargas, na Glória.

Reação

Os candidatos Jorge Bittar (PT) e Jandira Feghali (PC do B) responderam às críticas do prefeito Cesar Maia (PFL), candidato à reeleição, que disse que os governo estadual e federal não estão investindo nos Jogos Pan-Americanos. Segundo o pefelista, foi assinado acordo entre os três governos, que trata sobre o contrato televisivo, e apenas a prefeitura está cumprindo. Cesar respondeu às críticas de Jandira, Bittar e Luiz Paulo Conde (PMDB) feitas durante o debate da PUC, terça-feira.

Para Bittar, o prefeito mais uma vez se confronta com a verdade. Segundo ele, o governo federal abriu uma linha de crédito de R$ 350 milhões, através do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) para a construção da Vila Olímpica. ´Além disso, como relator do orçamento, liberei R$ 300 milhões para a compra de equipamentos. Cesar não pediu sequer audiência com o presidente Lula para discutir sobre o Pan. Ele fica isolado e sempre delega responsabilidade aos outros, não tem culpa de nada. É mais um factóide´, disse o petista.

Para Jandira, o prefeito mais parece uma biruta de aeroporto - instrumento que serve para medir a velocidade do vento e que, por isso, vira para todos os lados. ´Até ontem ele elogiava a coperação do governo federal. Ou ele tem memória curta ou está se candidatando a pinóquio´, ironizou. (C.G)