Seu browser não suporta JavaScript!

15/03/2012 | Portal do PSDB na Câmara

Proibição a bebidas alcoólicas na Copa

Bruno Araújo espera que líderes governistas mantenham proibição a bebidas alcoólicas na Copa

O líder do PSDB na Câmara, Bruno Araújo (PE), espera que os líderes de partidos do governo não voltem atrás do anúncio que fizeram ontem de que não constará no projeto de Lei Geral da Copa de 2014 qualquer referência a bebidas alcoólicas. A supressão atende emenda apresentada pelos deputados Otavio Leite (RJ) e Vanderlei Macris (SP) proibindo a comercialização deste produto nos estádios.

“Ficamos felizes com a posição do líder do PT, que afirmou que a exigência da venda de bebida alcoólica durante a Copa não é prioridade”, destacou Araújo no Twitter. O tucano destacou ainda a declaração do líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), de que o Planalto informou a líderes da base que “bebida nos estádios não tem seu patrocínio”. “Como se percebe, tanto [Jilmar] Tatto quanto Alves foram claros: a liberação de bebida em estádios nunca teria sido compromisso do governo com a Fifa. Defendemos o cumprimento da legislação brasileira e nos alegra ver que líderes da base aliada caminham ao nosso lado”, completou o líder do PSDB na Câmara.

Logo após o anúncio das lideranças alinhadas ao Planalto, Otavio Leite e Vanderlei Macris comemoraram. No entanto, o clima é de confusão. Em nota oficial, na noite dessa quarta-feira (14), o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, esclareceu que o compromisso assumido com a Fifa sobre a comercialização de álcool nos estádios foi mantido no texto aprovado pela comissão especial no mês passado. Nesta quinta-feira (15) o relator da matéria, deputado Vicente Cândido (PT-SP), reforçou a informação.

O petista alega que o Planalto “se equivocou” ao anunciar que o Brasil não assumiu compromisso com a Fifa de garantir a venda de bebidas dentro dos estádios. É em virtude desta confusão que o líder do PSDB cobrou a manutenção da posição tornada pública ontem. O projeto deveria ter sido votado na última quarta, mas a presidência da Câmara adiou a apreciação do texto devido à crise que atinge a base aliada ao governo Dilma.

O deputado Jutahy Júnior (BA) criticou o desencontro de opiniões. “Hoje acordei com esta belíssima manchete da Folha de S. Paulo: Governo cede à base e aceita veto a bebida na Copa-2014. Vim parabenizar o governo por sua atitude sensata, por perceber o risco que correriam todos os torcedores do Brasil ao liberar as bebidas nos jogos. Mas fui surpreendido com nota oficial do ministro Aldo Rebelo esclarecendo que o compromisso da venda de bebidas na Lei Geral está mantido”, declarou da tribuna.