Seu browser não suporta JavaScript!

12/07/2010 | Site Tucano-SP

PSDB concorda com Dilma: Se não faz, perde a credibilidade

O PSDB concorda com a declaração da candidata oficial à Presidência, Dilma Rousseff (PT): quem promete e não faz, não merece credibilidade. E o telhado da candidata petista, constatou o deputado João Almeida (BA), é de vidro. "Nunca na história desse País, um partido prometeu tanto, mas nada fez."

A lista de falsas promessas, segundo Almeida, é extensa: Fome Zero, Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Minha Casa, Minha Vida, Primeiro Emprego (substituído, apressadamente, pelo ProJovem e pelo Praça da Juventude), Luz para Todos, Primeiro Emprego, Minha Casa, Minha Vida, o discurso da moralidade etc.

"Quem promete e não faz, perde credibilidade? É por isso que o PT não tem a mínima credibilidade. Prometeu toda a vida moralidade, mas fez o mensalão e todo tipo de patifaria. A Dilma prometeu fazer o PAC, mas não o fez. São sucessivas mentiras", criticou.

Para o deputado Otavio Leite (RJ), o Bolsa Família é um exemplo que revela a falta de credibilidade do PT. "Quando não faz falsas promessas, o PT copia os programas criados durante o governo do PSDB. A rede de proteção social existente no Brasil tem DNA proveniente de ações tucanas."

Questionado sobre a proposta do candidato à Presidência, José Serra, em ampliar o universo de famílias atendidas pelo programa de transferência de renda de 12,6 milhões para 27,6 milhões, o deputado declarou existir uma linha tênue entre os dois candidatos: "O Serra tem a preocupação de criar condições para as pessoas terem uma porta de saída do programa, a Dilma tem interesse eleitoreiro", disse.

BOLSA FAMÍLIA

Como lembra João Almeida, o programa é resultado da concentração de cinco programas da Rede de Proteção Social criada pelo PSDB: Bolsa-Alimentação, o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), o Bolsa-Escola, o Auxílio-Gás e o Brasil Jovem. "O governo do PT pegou todos os programas do governo anterior que estavam funcionando e empacotou com o nome de Bolsa Família. O primeiro artigo da lei que o criou diz que ele consolida e unifica os programas Bolsa-Escola, Bolsa-Alimentação e Vale-Gás. Não há originalidade", diz Almeida.

LUZ PARA TODOS

Quando não faz falsas promessas, o PT tenta se apropriar da autoria dos programas criados pelo PSDB. É o caso do "Luz para todos", plágio do programa "Luz no Campo", criado em dezembro de 1999. O Luz no Campo surgiu para suprir a falta de energia que assolava o Brasil. No governo do PSDB, as residências com luz elétrica passaram de 70% para 90%, e no final de 2002 o projeto tinha atendido 419 mil famílias beneficiando cerca de 2,08 milhões de pessoas. Na gestão petista, o número de residências com energia elétrica cresceu 6%.