Seu browser não suporta JavaScript!

09/06/2009 | Jornal do Brasil

PSDB contra-ataca na sessão de hoje

Oposição vai obstruir sessão em resposta a manobra da base em CPI

O PSDB vai obstruir as votações no plenário do Congresso Nacional hoje em represália à decisão da base aliada governista de tentar retirar o senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) da relatoria da CPI das ONGs. Na obstrução, os partidos dificultam a votação de matérias usando estratégias previstas pelo regimento do Congresso para tentar impedir a análise das matérias.

O líder da minoria no Congresso, Otavio Leite (PSDB-RJ), disse que a oposição não vai aceitar que o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) retorne à relatoria da CPI.

– Enquanto o governo não recuar da tentativa de destituir o senador Arthur Virgilio, não vamos aprovar nada. O senador Virgílio foi aprovado legitimamente, não faz sentido destituí-lo – afirmou.

Virgílio foi designado relator da CPI das ONGs pelo presidente da comissão, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), depois que Arruda se tornou suplente da CPI. O regimento do Senado não permite que um suplente ocupe cargos de comando nas comissões, por isso Arruda deixou automaticamente o cargo.

Os governistas fizeram a mudança para que Arruda assumisse uma vaga de titular na CPI da Petrobras, mas ao perceber que haviam perdido a relatoria, voltaram atrás e transformaram o senador novamente em titular. Heráclito disse, porém, que não vai devolver o cargo à base aliada do governo uma vez que Virgílio foi eleito “de forma legítima” para o cargo.

Entre as matérias que devem entrar na pauta do Congresso, estão a liberação de créditos de R$ 6 bilhões para o projeto Minha Casa Minha Vida e R$ 149 milhões para o Ministério de Ciência e Tecnologia, entre outros.

Alheio à polêmica sobre a relatoria da CPI das ONGs, o senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) promete apresentar hoje um plano de trabalho com o futuro das investigações na comissão. Designado para relatar os trabalhos da CPI depois do senador Inácio Arruda (PC do B-CE) deixar o cargo, Virgílio deve priorizar a investigações de entidades ligadas ao PT e ao MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).

Preocupados com a relatoria do tucano na CPI, os governistas prometem insistir na briga para retirar Virgílio do cargo. Arruda perdeu a função ao tornar-se suplente da comissão para assumir uma vaga de titular na CPI da Petrobras. Como o relator não pode ser suplente, o presidente da CPI, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), nomeou o senador Virgílio para o cargo.

Os governistas ainda tentaram desfazer a manobra mal sucedida, tornando Arruda novamente titular da CPI. Heráclito, no entanto, disse que vai manter o tucano no cargo, pois Virgílio foi designado legalmente para a função.( Com agências