Seu browser não suporta JavaScript!

17/09/2007 | Jornal O Fluminense

PSDB e PV fazem protesto no calçadão da praia de Icaraí

Os diretórios municipais do PSDB e do PV realizaram neste domingo, no calçadão da Praia de Icaraí, um ato de protesto contra a absolvição do presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL). Liderados pelo presidente do PSDB de Niterói, Gegê Galindo, e pelo vice-presidente do diretório municipal do PV, Eurico Toledo, militantes distribuíram panfletos chamando a atenção para o que classificaram como ´vergonha nacional´.

Para Gegê Galindo, a manifestação reflete o sentimento de toda sociedade com relação ao episódio Renan Calheiros.

´Este é um ato a favor da cidadania. É um momento onde todos estão revoltados e o PSDB de Niterói tomou esta iniciativa para retratar a indignação de todas as pessoas, para chamar a atenção para o fato de que os políticos não podem fazer o que bem querem´, ressaltou.

O deputado federal Otavio Leite também fez questão de manifestar sua opinião. Otavio Leite disse que a iniciativa do PSDB de Niterói vai repercutir em Brasília.

´Vou levar ao conhecimento da direção nacional do PSDB a iniciativa de Niterói. É um exemplo, pois ninguém agüenta mais esta impunidade´, declarou.

Quem também fez questão de enaltecer a iniciativa de Gegê Galindo foi o deputado estadual Luiz Paulo Corrêa da Rocha.

´Esta manifestação do PSDB de Niterói simboliza o sentimento do povo de repulsa com relação à absolvição de Renan Calheiros. É uma aberração contra a democracia´, comentou.

Eurico Toledo, vice-presidente do diretório municipal do PV, disse que o manifesto servia para mostrar que algo deve ser feito.

´O PSDB e o PV estão unidos a favor da ética. Alguma coisa deve ser feita´, afirmou.

Quem caminhava pelo calçadão de Icaraí no domingo ensolarado também aproveitava para expressar a indignação com o caso Renan Calheiros. O ex-senador Nilo Campos era um deles.

´Este tipo de manifestação pública é fundamental para chamar a atenção da sociedade de que algo precisa ser feito´, comentou.

Já a professora Dulce Del Claro, de 70 anos, foi mais radical.

´Estamos sendo explorados há mais de 300 anos. Isso que aconteceu é uma vergonha. Eu não voto em mais ninguém´, esbravejou-se.

Bonecos com as cabeças dos senadores que votaram a favor da absolvição de Renan Calheiros, expostos em bandejas, foram levados por militantes do PV para o protesto. Eles também distribuíram panfletos reproduzindo um texto do deputado federal Fernando Gabeira repudiando a absolvição de Calheiros.

´A crise continua. Há outros processos. Pelo menos, conseguimos no STF o direito de assistir. Isto foi um avanço, pois nosso mandato estava sendo usurpado. Se todos não esticarem a corda, eles vão procurar se acomodar e ir levando esta situação que, ao meu ver, é insustentável´, diz a carta.