Seu browser não suporta JavaScript!

22/06/2011 | Portal R7

PSDB tenta convocar Mercadante para se explicar na Câmara

Com Agência Câmara

O PSDB protocolou nesta quarta-feira (22) três requerimentos de convocação do ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante (PT), para que ele explique sua eventual participação no caso do Dossiê dos Aloprados, elaborado em 2006 contra o tucano José Serra.

Reportagem da revista Veja do último final de semana aponta Mercadante como um dos mentores do plano. À época, o ex-governador de São Paulo disputava com ele o cargo que ocupou até 2010. O material teria denúncias contra o tucano, à frente nas pesquisas desde o início da disputa - vencida no primeiro turno.

O diretório do PT de São Paulo rebateu no sábado (19) a reportagem publicada pela revista que associa o ministro ao episódio.

A edição da revista afirma que Mercadante é citado em uma gravação, à qual a publicação teve acesso, em que o atual secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal, Expedito Veloso, afirmou a colegas do PT que o plano do dossiê foi "tocado pelo núcleo de inteligência do PT, mas com o conhecimento e a autorização do senador (Mercadante)".

Os requerimentos foram apresentados na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle, pelo deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP); na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, pelos deputados Fernando Francischini (PSDB-PR) e Carlos Sampaio (PSDB-SP); e na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, pelo deputado Antonio Imbassahy (PSDB-BA).

Outros dois requerimentos de convite a Expedito Veloso foram apresentados nas Comissões de Fiscalização Financeira; e de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado.

Nesta quinta-feira (23), o líder do PSDB, deputado Duarte Nogueira (SP), vai protocolar representação no Ministério Público Federal e um ofício na Polícia Federal solicitando a reabertura das investigações sobre o caso.

Para o deputado Otavio Leite (RJ), que está respondendo nesta quarta-feira (22) pela liderança do PSDB, é fundamental que a sociedade tenha respostas.

- As investigações foram encerradas por falta de provas e agora há a confissão de que o ministro foi um dos mentores do plano. Com essa informação, é preciso que as investigações sejam retomadas.