Seu browser não suporta JavaScript!

19/05/2006 | Jornal O Dia

PT sonha em ter palanque de Cabral

A decisão do PMDB contra a candidatura própria à presidência agitou os bastidores da sucessão no Rio. Alguns caciques peemedebistas passaram a defender aliança, mesmo que branca, do ex-governador Anthony Garotinho com o tucano Geraldo Alckmin (PSDB). Assim, o senador Sérgio Cabral (PMDB) cederia seu palanque a Alckmin.

Ninguém fala abertamente, mas um petista com prestígio no planalto afiança que o PT enviou emissário para conversar com Cabral. O Objetivo é que seja dele o segundo palanque do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Rio. ´Lula está com obsessão pelo PMDB´, observou o petista. Em troca, o PT não ajudaria o senador Marcelo Crivella (PRB) a fechar alianças, o que inviabilizaria a candidatura dele e também auxiliaria a governadora Rosinha Garotinho a fechar sua gestão.

Um empecilho à aliança de Cabral com os tucanos é a exigência da retirada da candidatura de Eduardo Paes. ´Sou daqueles que acha que apoio não se nega, mas não há hipótese de retirar a candidatura´, disse Paes. ´A candidatura de Eduardo Paes é inexorável´, endossou o presidente do PSDB no Rio de Janeiro Luiz Paulo Corrêa da Rocha. ´ Neste período de pré-convenção, toda sorte de possibilidades hão de ser apresentadas, especuladas´, acredita o vice-prefeito, o tucano Otavio Leite.