Seu browser não suporta JavaScript!

19/02/2008 | Jornal do Brasil

PV, PSDB e PPS ensaiam aliança para eleição no Rio

Em tentativa inédita, os partidos PV, PPS e PSDB unem forças para tentar virar as longas páginas de história na liderança de Cesar Maia no Rio de Janeiro.

Em reunião na sede do PSDB, no Centro do Rio, ontem as três legendas começaram a estudar possibilidades concretas de uma tríplice aliança - possível Frente Carioca - para oferecer aos eleitores alternativas além do tradicional PMDB de Garotinho aliado ao DEM do prefeito Cesar Maia ou mesmo a aliança PT-PMDB, almejada pelo governador Sérgio Cabral e o presidente Lula.

Depois de três meses de ´namoro´ e conversas entre o presidente estadual do PSDB Marcelo Alencar e o deputado federal do PV Fernando Gabeira, a reunião contou com militantes dos três partidos, assim como seus pré-candidatos - com a exceção da juíza Denise Frossard (PPS).

A idéia é que até maio, prazo final para se firmarem as alianças antes de as convenções começarem em junho, os partidos encontrem um nome que represente a aliança e possa, talvez, levá-la a um segundo turno.

Nomes

Mas os obstáculos são grandes. Os tucanos têm três pré-candidatos: o deputado federal Otavio Leite, o estadual Luiz Paulo e a vereadora Andrea Vieira. Denise Frossard é o nome forte para o PPS. Pelos verdes, o presidente estadual Alfredo Sirkis é o pré-candidato oficial, apesar de o partido não deixar de cogitar lançar o próprio Gabeira.

- Eu como pré-candidato estava disposto a abrir mão em prol da candidatura de Gabeira, se ele confirmar - confessa Sirkis. - Estava notando interesse nos próprios PSDB e PPS para o Gabeira e acredito que o nome dele é capaz de unir os três partidos.

Presente na reunião, a vereadora verde Aspásia Camargo garante que o entusiasmo com o encontro de ontem foi unânime:

- Conversamos para traçar planos de governo e vamos pensar num nome - conta. - Não estamos interessados na ´funalização´, queremos mudança.

Para Otavio Leite, um primeiro passo para a alternativa ao já conhecido ciclo de Cesar Maia foi dado. Ele reconhece, no entanto, que serão necessários ´muitos outros´ para que a aliança confirme-se e seja levada adiante.

´Hillary´

Ciente das chances que o nome de Gabeira ou da Denise Frossard podem agregar, Sirkis demonstrou desejo de contribuir com a frente, ainda que seja com seus conhecimentos administrativos.

- Sou como a Hillary Clinton, talvez o que precisemos seja de um Barack Obama, que traga esperança - comparou.

Apesar da primeira formalização, as possibilidades de cada legenda seguir caminhos alternativos e formar acordos diferentes é grande e não é impensável.

- Existe uma bola quicando no gramado, para entrar na área e, quem sabe, fazer um gol - arrisca Sirkis. - Vai depender do empenho dos eleitores cariocas. O que farão já que estão descontentes com alternativas tradicionais?

Líderes das três legendas aguardam novos avanços na próxima segunda-feira, quando voltam a se reunir.