Seu browser não suporta JavaScript!

18/09/2009 | Diário Tucano

Queda na arrecadação serve de alerta ao governo, afirmam tucanos

Por Djan Moreno e Gustavo Bernardes

Queda na arrecadação serve de alerta ao governo, afirmam tucanos

Parlamentares do PSDB alertaram para os efeitos da queda na arrecadação de impostos administrados pela Receita Federal, que pode chegar a R$ 76,6 bilhões até o fim deste ano de acordo com estudo da assessoria técnica do PSDB. Segundo a projeção - que exclui as receitas previdenciárias e o montante das restituições pagas - em vez dos R$ 522,5 bilhões previstos no orçamento de 2009, o valor pode atingir apenas R$ 445,9 bilhões até dezembro. A própria Receita divulgou nesta semana que entre janeiro e agosto houve uma perda de R$ 17,3 bilhões. Otimistas, as previsões oficiais estimam queda de apenas R$ 25,2 bilhões no ano.

Despesas erradas - O estudo observou os dados da Receita registrados nos sete primeiros meses deste ano e projetaram as informações para o restante do ano. Segundo o líder da Minoria no Congresso, deputado Otavio Leite (RJ), a queda na arrecadação deve servir de alerta ao governo. Para o tucano, o Planalto deve ter mais cautela com seus gastos de custeio.

“Os números significam mais uma razão para o governo não gastar R$ 700 milhões do Orçamento em publicidade e não criar novos cargos na administração federal”, apontou Otavio Leite. Em sua avaliação, o Planalto não gasta corretamente o que arrecada. E com as sucessivas reduções, a situação pode se agravar. “Isso é grave. Para se ter uma ideia, o total de investimentos do PAC em 2009 é de R$ 21 bilhões, mas nem 15% foram executados até agora. Sobra cada vez mais ao governo a retórica, porque na prática suas ações estão empacadas”, apontou.

O deputado Antonio Carlos Pannunzio (SP) também alertou para os impactos desta queda. Segundo o tucano, desde o inicio da crise econômica a gestão do PT foi relapsa e minimizou os efeitos da turbulência internacional. “O governo manteve na proposta orçamentária os índices de inflação, de taxa de crescimento e a previsão do câmbio. Desde aquele momento já se mostrava completamente insensível", reprovou. Ainda segundo o tucano, a queda na arrecadação pelo décimo mês consecutivo mostra que a crise não foi totalmente superada, como tenta vender o governo.

“Não me causa surpresa que a gestão do PT continue minimizando a realidade, o que é uma inconsequência. O que deveria ter sido feito era corte de gastos, mas não houve planejamento algum”, criticou.