Seu browser não suporta JavaScript!

01/11/2011 | Jornal Valor Econômico

Radicalismo, neste momento, só traz prejuízo, diz Maia sobre royalties

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), disse ontem no Rio que pretende criar uma comissão especial para discutir a questão dos royalties do petróleo. Após participar de almoço com empresários na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), o deputado seguiu no meio da tarde para Brasília, onde procurou por lideranças dos partidos para tratar da criação da comissão, solicitada no fim da semana passada por parlamentares do Rio de Janeiro e do Espírito Santo.

Segundo Maia, esse seria "um esforço para chegar a um entendimento". Para o presidente da Câmara, a proposta aprovada no Senado "não atendeu a todas as demandas". Maia disse acreditar que, para que se chegue ao consenso, seria necessário que o governo federal cedesse.

"Radicalismo, neste momento, só traz prejuízo", disse o deputado a jornalistas na saída do evento.

A criação da comissão é um ato que cabe ao presidente da Casa. Também presente ao evento, o deputado federal Otavio Leite (PSDB-RJ) lembrou que a duração da comissão depende do nível de consenso que se crie entre seus membros. "Pode ter 60 dias e ser estendida por mais 60."

Segundo Leite, a composição da comissão dependerá dos partidos, que terão de ajustar entre si a representatividade regional, conforme a participação de cada estado na produção do petróleo. "O justo seria a presidência para um [Estado] não produtor e a relatoria de um Estado produtor", defendeu o deputado tucano.