Seu browser não suporta JavaScript!

18/06/2015 | Jornal Lance!

Receita Federal irá enquadrar clubes endividados que não aderirem ao Profut

Por Fábio Suzuki 

Em uma operação inédita, a Receita Federal prepara uma força-tarefa para esmiuçar a situação fiscal dos clubes brasileiros tão logo termine o processo legislativo de discussão da Medida Provisória (MP) do Profut. Na mira estão os clubes que não aderirem ao programa de refinanciamento proposto pelo Governo. A começar pelos que hoje atuam na Série A – Atlético Mineiro, Flamengo, Corinthians, Vasco e Fluminense – e o Botafogo. Pela ordem, eles estão entre os maiores devedores do Leão.

Tolerância zero
Nessa iniciativa da Receita, a ordem é não deixar barato: as dívidas fiscais vão ser cobradas pelos critérios normais, com as mesmas condições impostas a qualquer contribuinte, terminando com a tolerância que, por décadas, tem marcado a relação da Receita com os clubes. Incluindo as parcelas devidas ao Timemania, a dívida total dos clubes junto à União gira em torno de R$ 2,7 bilhões.

Não foi fácil
A reunião que o relator da MP do Profut, o deputado Otavio Leite (PSDB-RJ), fez com dirigentes dos clubes de futebol antes da apresentação do relatório final da proposta foi descrita de “a maior quebradeira” por quem acompanhou o debate de perto. Já Leite afirmou à coluna que “não foi fácil segurar a onda” dos cartolas que estiveram em Brasília para discutir o relatório.