Seu browser não suporta JavaScript!

30/03/2010 | Correio Braziliense

Rivais em pé de guerra

Pantomima eleitoral, peça de ficção, fantasia, fraude. O repertório da oposição ao definir o evento do governo federal para lançar o PAC 2 colecionou expressões do gênero. Tucanos e lideranças do DEM e do PPS consideraram o lançamento do programa “um ato de campanha completo” da candidatura da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência da República. Os três partidos de oposição apoiam a candidatura do tucano José Serra à Presidência

“Teve até choro e emoção. Foi uma ação palanqueira”, disse o líder do PSDB na Câmara, João Almeida (BA). A oposição se reúne hoje para decidir se entra no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com pedido para que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff sejam punidos por propaganda eleitoral antecipada. “O PAC 2 foi um lançamento de candidatura com honras e pompas do poder”, afirmou o tucano. “Aquilo foi um verdadeiro comício”, emendou o senador Álvaro Dias (PDSB-PR).

Para ele, a iniciativa governista é peça de ficção. “O primeiro PAC foi apresentado como revolução na administração pública do País e se transformou em uma falácia. O PAC 2 é um passo à frente daquilo que não andou. Um verdadeiro espetáculo surrealista”, criticou. Segundo levantamento feito pelo PSDB, a pedido do deputado Otavio Leite (RJ), o governo executou, em 2007, 72,8% dos recursos destinados ao PAC . No ano seguinte foram pagos 68,1% e, em 2009, apenas 41,9%. “É uma tremenda presunção de o governo apresentar um PAC 2 sem ter alcançado as metas do PAC 1”, argumentou Leite. Este ano, até o dia 26 de março, apenas 2,2% do total de os recursos para obras do PAC 1 haviam sido pagos.

Farsa

Para o líder do DEM na Câmara, Paulo Bornhausen (SC), o presidente Lula transformou o lançamento do PAC 2 em comício. “A farsa é inegável. A ponto de o PT anunciar pela imprensa que vai exigir que a ministra-candidata ‘traduza’ o PAC para os eleitores. E o comício de hoje é mais uma mentira: só participou dele quem estava devidamente convidado — ou convocado”, afirmou Bornhausen, em nota divulgada hoje pelo DEM.

O PPS também considerou o lançamento do PAC 2 “um pacote eleitoral” . Para o vice-líder do partido na Câmara, Arnaldo Jardim (SP), o programa é um “arremedo”, que reúne “obras isoladas, esparsas e maquiadas”. No início da noite, os presidentes do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE); do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ); e do PPS, Roberto Freire divulgaram nota conjunta, intitulada “pantomima eleitoral”, acusando o PAC 2 de ser “mera peça de campanha eleitoral, movida às custas do contribuinte brasileiro”.

Trata-se de uma mera peça eleitoral, movida às custas do contribuinte brasileiro”