Seu browser não suporta JavaScript!

23/10/2013 | Jornal Extra

Romário grava depoimento para Aécio Neves

Romário grava depoimento para Aécio Neves depois de ganhar a queda de braço com Ronaldo

Por Berenice Seara, Marluci Martins e Pâmela Oliveira

A três dias da eleição, Romário (PSB), senador eleito com 4,6 milhões de votos no Rio, entrou oficialmente no time de Aécio Neves (PSDB) e gravou dois vídeos de apoio ao tucano. Mal entrou no ônibus, o Baixinho sentou na janela e disparou contra Ronaldo Fenômeno, amigo de Aécio, que, segundo interlocutores, teria dificultado a aliança com o desafeto.

— Politicamente falando, é uma pena que ele seja tão ignorante e desinformado — disse Romário ao EXTRA, referindo-se a Ronaldo.

A aliança entre Romário e Aécio era dada como certa desde o início do segundo turno, mas a rixa entre o fenômeno dos campos e das urnas dificultou a finalização. Conforme antecipou a coluna “Extra, Extra!”, um interlocutor procurou Ronaldo Fenômeno, no último sábado, para combinar o anúncio do apoio de Romário ao tucano, mas Fenômeno, que está com Aécio desde o início da campanha, disse que, antes, Romário deveria pedir desculpas. Foi preciso que o próprio Aécio entrasse em campo para garantir o apoio do Baixinho. O tucano convenceu Romário num telefonema em que disse: “Quem tem voto é você, vamos nessa”.

Romário gravou dois vídeos que serão usados na campanha do tucano: um com cerca de 40 segundos que fala sobre mudança e outro menor, em que cita os compromissos assumidos por Aécio para ter o seu apoio — investimento no atendimento de pessoas com deficiência, a criação de um centro de diagnóstico de doenças raras, a moralização e democratização do esporte e o fortalecimento a políticas de combate ao crack.

Segundo o deputado Otavio Leite (PSDB), um dos articuladores da campanha de Aécio no Rio, os filmes serão exibidos a partir de hoje. Leite, que atuou com Romário na Frente Parlamentar em Defesa da Pessoa com Deficiência, destacou o peso do apoio ao presidenciável. O estado, terceiro maior colégio eleitoral do país, é considerado chave na disputa contra Dilma Rousseff (PT), que tem o apoio dos dois candidatos ao governo estadual, Luiz Fernando Pezão (PMDB) e Marcelo Crivella (PRB). Já Aécio tinha como principal aliado a dissidência do PMDB, liderada pelo presidente estadual do partido, Jorge Picciani, articulador do Aezão. A aliança com o ex-craque na reta final da campanha é vista como fundamental na conquista de votos no Rio de Janeiro.

— Além de ídolo do futebol, Romário é hoje uma liderança política. A gente espera que o apoio dele possa levar o eleitor indeciso a votar no Aécio e reverter o voto que se inclina para Dilma — disse Leite, que minimiza os problemas entre Ronaldo e Romário. — Isso nunca foi relevante. A questão do Aécio é muito superior.

Presidente estadual do PSB, o deputado federal Glauber Braga, que declarou voto na presidente Dilma no segundo turno, disse respeitar a posição de Romário, já que, no Rio, o PSB liberou os filiados para apoiar às candidaturas que desejarem. Mas disse acreditar que “o que vai balizar o voto do eleitor é a avaliação que ele fez do programa dos dois candidatos, das virtudes e defeitos de cada um”.

Bolsonaro esnobado

Deputado federal mais votado no Rio, Jair Bolsonaro (PP) está chateado com Aécio. Domingo, Bolsonaro foi à carreata em Copacabana e saiu com a sensação de que seu apoio ao tucano foi esnobado — não foi chamado para o carro ou para tirar fotos:

— Acho que ele acha que tenho fama de homofóbico, de defender o regime militar e que pode perder votos.