Seu browser não suporta JavaScript!

19/12/2003 | Jornal O Dia

Serviço obrigatório na Uerj

Os estudantes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro receberam com críticas a lei de autoria do deputado estadual Otavio Leite (PSDB), que, se sancionada pela governadora Rosinha, vai obrigá-los a prestar um ano de serviços comunitários.

Segundo o deputado, é uma forma de ´retribuição ao investimento da sociedade na sua formação profissional´. Os serviços podem ser prestados durante ou após o curso.

A lei atinge todos os alunos de graduação das universidades estaduais do Rio: a Uerj e a Universidade e a Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf). Só na graduação da Uerj, estudam hoje 22.507 alunos.

Rosinha tem 15 dias para sancionar ou vetar a lei

A rejeição foi unânime entre os alunos que deram sua opinião. Os universitários alegaram, entre outros argumentos, que a medida não deveria ser obrigatória, tendo em vista que muitos alunos não dispõem de tempo hábil para se dedicar a projetos sociais: estão às voltas com trabalhos e estágios.

O projeto de lei foi aprovado por unanimidade e em sessão extraordinária no dia 10. A partir dessa data, a governadora Rosinha Garotinho tem um prazo de 15 dias para sancionar ou vetar a lei, que também abrangeria alunos que ingressaram na Uerj ou na Uenf através do sistema de cotas.