Seu browser não suporta JavaScript!

01/08/2005 | Estadão Online

Tentativas de abafar denúncias não darão certo, diz Serra

O prefeito de São Paulo, José Serra (PSDB), afirmou hoje que a CPI Mista do Correios deve levar alguns políticos à cassação. Sem mencionar nomes, ele declarou que quaisquer tentativas de acordos ou negociações políticas para abafar as denúncias não darão certo, porque esses pactos serão atropelados pelos fatos. ´Não vou me manifestar diretamente sobre este ou aquele assunto. Mas me parece evidente que haverá cassações´, opinou o prefeito. ´Sou contra mecanismos de acordos´, disse, acrescentando que a imprensa cumpre ´papel fundamental´ na cobertura dos fatos.

Quanto às indicações de que o presidente nacional do PSDB, senador Eduardo Azeredo (MG), teria usado um suposto esquema de caixa 2 comandado pelo empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, em Minas Gerais, o prefeito paulistano lembrou que o dirigente tucano se ofereceu para falar na CPI sobre o assunto. Afirmou também que ainda não há nenhuma mudança à vista na cúpula do partido neste momento. ´Acho que o mais adequado é aguardar o pronunciamento dele (Azeredo)´, disse.

Serra também comentou a eventual inocência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em relação às denúncias de corrupção. ´Não creio e nem descreio. É estranho que ele não tenha conhecimento de ação de pessoas de tanta intimidade administrativa e pessoal´, argumentou. ´As investigações deverão mostrar o que realmente está acontecendo.´

Sobre um eventual processo de impeachment do presidente Lula, Serra afirmou: ´Aí não é um problema de conspiração. Quem se reunir para fazer impeachment ou para impedir impeachment, não vai conseguir nada. Os fatos é que vão falar.´

O prefeito participou hoje, no Teatro Municipal, da assinatura de um acordo com a Varig para o lançamento de um pacote de turismo envolvendo as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo. O evento contou com a presença de diversos artistas, como Beatriz Segal, Luana Piovani e José Wilker.

Os pacotes oferecem tarifas a partir de R$ 399, com passagem aérea e hotel para um fim de semana nas capitais paulista e fluminense. A idéia foi do vice-prefeito do Rio, Otavio Leite, e a intenção é elevar em 20% o movimento turístico nas duas cidades nos fins de semana.