Seu browser não suporta JavaScript!

27/05/2015 | Rádio Câmara

Torcidas reivindicam partidas com horário flexível e ingressos mais baratos nos estádios

Por Cinthia Bispo (Rádio Senado)

A sétima e última audiência pública para tratar a MP 671 ouviu a Associação Nacional das Torcidas Organizadas e integrantes das torcidas do Corinthians e do Flamengo. Para os representantes das torcidas, é preciso modernizar a gestão e ampliar a responsabilidade fiscal, de modo a voltar a encher os estádios. Entre as reivindicações estão horário mais flexível dos jogos e preços de ingressos mais acessíveis à população, com valor fixo em 4% do salário mínimo. Diretor social da torcida Urubuzada do Flamengo, Gabriel dos Santos acredita que a medida provisória pode mudar a atual estrutura do futebol brasileiro:

"É muito triste você pagar caro num ingresso. Passar por toda essa problemática de criminalização. De você ver um estádio que não tem graça nenhuma de vê o jogo, e você não vê muita saída para isso. E, eu quero que essa lei, ela sirva para que os clubes se fortifiquem, para que os clubes voltem a pagar suas contas, para que haja seriedade na gestão dos clubes, que o time corresponda à torcida."

O relator da MP, deputado Otavio Leite, do PSDB do Rio de Janeiro, declarou que, após a série de encontros promovidos pelo colegiado, o relatório deve alterar alguns pontos da proposta:

"Haverá alterações. Mas não fugiremos da espinha dorsal. Um parcelamento que seja viável para as finanças dos clubes. Além disso, nós queremos que várias regras de responsabilidade, as contrapartidas, elas possam ser aprovadas. Feito isso, eu acho que teremos uma lei estruturante no futebol brasileiro."

O senador Sérgio Petecão, do PSD do Acre, presidente da Comissão, está confiante que o resultado final vai contribuir, em muito, para melhorar o futebol no país:

"Isso é um trabalho de construção, ouvindo a todos. E tem que se ressaltar, a Medida Provisória 671 foi a medida que já houve uma participação maior de público aqui na Comissão. Eu estou muito animado, muito empolgado, penso que essa comissão vai dar uma grande contribuição para o futebol brasileiro."

O relatório deve ser apresentado no dia 2 de junho e os plenários da Câmara e do Senado têm até 17 de julho, data que vence a MP, para votação.