Seu browser não suporta JavaScript!

05/04/2011 | Agência Câmara

Transporte e aeroportos da Copa são prioridades para Ministério dos Esportes

Transporte e aeroportos da Copa são prioridades para ministro dos Esportes

Por Carol Siqueira

Investir nos aeroportos e na infraestrutura de transporte coletivo nas cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 é a prioridade do governo para a preparação do mundial de futebol, informou o ministro do Esporte, Orlando Silva, que participou nesta terça-feira de audiência pública na Comissão de Turismo e Desporto. “No ano passado, evoluímos bastante no que se refere aos estádios, e, em 2011, o foco será os aeroportos e a mobilidade urbana”, disse o ministro, ressaltando que 70% das obras de transporte precisam começar o quanto antes para que as cidades estejam preparadas em 2014.

Esses temas, segundo Orlando Silva, serão discutidos em uma reunião entre prefeitos, governadores e a presidente Dilma Rousseff, na segunda quinzena de abril, assim que ela voltar da China, onde assina acordos econômicos. O ministro disse ainda que Dilma deve aproveitar o encontro para anunciar mudanças na gestão da Infraero – sem entrar em detalhes, Silva indicou que a abertura do capital da empresa está em estudo pelo governo federal.

O ministro anunciou ainda que a redação final do projeto da Lei Geral da Copa está sendo finalizada e o texto deve ser encaminhado ao Congresso ainda em abril. “É uma lei que vai normatizar vários aspectos de funcionamento da Copa e está em fase final de negociação com a Fifa [Federação Internacional de Futebol]”, explicou.

Estádios

Os problemas na construção dos estádios foram minimizados por Orlando Silva, que disse haver ajustes a serem feitos “aqui e acolá”. Citou nominalmente os estádios de Natal (RN) e de São Paulo (SP), que ainda não começaram, mas declarou estar confiante de que as arenas serão entregues a tempo. “Em Natal, foi selecionada a empresa responsável pela construção e as obras podem começar em abril”, afirmou. “São Paulo mudou o endereço da Copa, mas temos confiança nas garantias do prefeito e do governador”, completou.

O ministro descartou que o governo federal será avalista do empréstimo para a construção do estádio de São Paulo, hipótese levantada diante da recusa do BNDES às garantias apresentadas pelo Corinthians e pela Odebrecht. “O governo federal não tem interesse em ser avalista de nenhum estádio no Brasil, isso é um assunto das prefeituras e dos governos estaduais”, assegurou.

Ainda assim, o deputado Otavio Leite (PSDB-SP) demonstrou preocupação em relação ao custo dos estádios brasileiros, que superam a média de R$ 7.800 por assento, apurada pelo Executivo. “A reforma do Maracanã vai custar mais de R$ 13 mil por torcedor”, criticou.

CPI da CBF

Questionado pelos deputados Silvio Costa (PTB-PE) e Anthony Garotinho (PR-RJ) sobre a proposta do parlamentar carioca de instaurar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a Confederação Brasileira do Futebol (CBF) e o presidente da entidade, Ricardo Teixeira, o ministro limitou-se a dizer que “CPI é assunto do Congresso Nacional” e negou qualquer pressão do governo para que parlamentares retirassem assinaturas do pedido.

Garotinho denuncia que Ricardo Teixeira é, junto com a CBF, sócio do Comitê Organizador Local (COL) da Copa, e que teria direito aos lucros da instituição. Para o ministro do Esporte, a gestão do COL depende da Fifa e não do governo federal.

Fórum legislativo

O presidente da comissão, deputado Jonas Donizette (PSB-SP), anunciou que o colegiado vai realizar o Fórum Legislativo das Cidades-sede, para que os parlamentares acompanhem as obras e se reúnam com os comitês locais. “Essa é a oportunidade para adquirir informações detalhadas sobre como estão as obras e fazer a cobrança que cabe ao Legislativo fazer”, disse.