Seu browser não suporta JavaScript!

04/06/2013 | Portal do PSDB na Câmara

Trapalhada do Bolsa Família: Caixa precisa esclarecer erros que podem ter provocado tumulto

Por Letícia Bogéa

A antecipação do pagamento do Bolsa Família pela Caixa Econômica é a principal linha de investigação sobre as origens do boato de encerramento do programa. Segundo a “Folha de S.Paulo”, os investigadores da Polícia Federal apontaram erros internos cometidos pelo banco estatal como o mais importante foco do caso depois que os primeiros sacadores do benefício foram ouvidos em depoimentos nos 13 estados onde ocorreram as corridas às agências.

A trapalhada envolvendo o programa reforça ainda mais a necessidade da Caixa esclarecer os fatos. O deputado Otavio Leite (RJ) cobrou, nesta terça-feira (6), explicações mais convincentes do banco diante do caso. “Se milhares de pessoas foram em vários estados às agências da Caixa para retirar o benefício é porque elas foram informadas. Se isso aconteceu, ocorreu por meio de telemarketing, Se foi ligada pelo telemarketing, alguém tinha o banco de dados com os telefones dos beneficiários. E esse alguém só pode ser o governo. Estamos diante de um problema que precisa ser apurado”, argumentou.

Nos depoimentos à PF, os agentes descobriram que, após a liberação antecipada do pagamento, grande quantidade de beneficiários passou a ir aos bancos retirar os valores. Por não comportar o volume de sacadores, as agências ficaram sem dinheiro, o que, segundo os investigadores, pode ter sido o gatilho para o início do boato.

A polícia suspeita que após a liberação antecipada do pagamento surgiu o boato do fim do programa. Já a Caixa, em um primeiro momento, informou que liberou o benefício após a confusão provocada pelos boatos. “Autoridades do banco deram informações completamente diferentes. Por isso, esperamos aprovação do requerimento que pede a vinda do presidente da CEF para esclarecer o que está acontecendo. O governo tem que assumir sua irresponsabilidade”, cobrou Leite.

O tucano é coautor de requerimento na Comissão de Segurança Pública, presidida por ele, que pede a vinda de Jorge Hereda para dar esclarecimentos. Nesta quarta-feira podem ser votados esse e outros requerimentos assinados por parlamentares do PSDB que solicitam a vinda de autoridades para dar explicações sobre a trapalhada envolvendo o principal programa social do governo federal,

O tucano considerou grave o fato de pessoas ligadas ao PT insinuarem a ligação da oposição com os boatos. “É um absurdo. A antecipação do período eleitoral está se dando de maneira nítida. Deve ser o governo preocupado com o rumo que o país está tomando: inflação cada vez maior, custo de vida aumentando, endividamento cada vez maior, entre outros”, acredita.

Há uma semana, em entrevista na sede da PF, o líder da bancada do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), já apontava a hipótese levantada pela PF. Na ocasião, o tucano classificou de “inconcebível” e “irresponsável” a postura da Caixa. Para o tucano, deve ser apurado criminalmente o comportamento do presidente do banco estatal. O executivo levou uma semana para admitir que a CEF antecipou o pagamento antes do surgimento dos boatos.