Seu browser não suporta JavaScript!

12/08/2011 | Blog da Bancada do PSDB na Câmara e no Senado

Tucanos acreditam que novos escândalos de corrupção no Turismo serão descobertos

Otavio Leite e Francischini acreditam que novos escândalos de corrupção no Turismo serão descobertos

Por Laize Andrade

Os deputados Otavio Leite (RJ) e Fernando Francischini (PR) avaliam que os escândalos de corrupção no Ministério do Turismo são apenas o início de outros que virão à tona. Reportagem da “Folha de S.Paulo” destaca que escutas da Polícia Federal revelam que os acusados de desvio de verbas tinham livre acesso à pasta. O esquema pode ter ocorrido em outros estados, além do Amapá.

Os dois contratos investigados por suspeita de fraude possuem o mesmo valor, objetivo e data de assinatura. Um, no Paraná, repassa R$ 4,4 milhões para a Sociedade Evangélica Beneficente de Curitiba para treinamento de agentes de turismo. Em outro, no Amapá, o Instituto Brasileiro de desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi) conseguiu R$ 4,4 milhões para realizar o mesmo projeto. Os dois acordos serviriam para treinar 1,9 mil pessoas no atendimento a turistas e foram assinados no mesmo dia, 21 de dezembro de 2009, pelo secretário-executivo do órgão, Mário Moysés, preso na última terça-feira (9).

Otavio Leite acredita que novas práticas de corrupção serão descobertas. “Essas investigações se destinam a apurar fraudes e crimes sob um valor muito pequeno, em tese, R$ 4 milhões. Imagine o que há ainda para ser apurado”, disse. Segundo ele, não há só um funcionário corrupto no órgão, e sim uma quadrilha instalada.

Para Francischini, os esquemas deixados pelo governo Lula só prejudicam a sociedade. “A presidente Dilma tem que realmente limpar esse governo. A herança que ela recebeu do não faz bem. Estamos num período de mau exemplo para a população de como se deve administrar”, lamenta.

Na opinião dele, o dinheiro que deveria ser aplicado na saúde, educação e segurança escoa na mão de autoridades e políticos. “Infelizmente, o esquema no ministério merecia uma operação da Polícia Federal. As gravações que estão vindo demonstram a organização criminosa fraudando o dinheiro público, atos de corrupção, coisas que precisavam mesmo de uma ação policial”, enfatizou.